Mais do que uma brinquedoteca

Mais do que uma brinquedoteca

Procura pelas brinquedotecas aumentou este ano e, diante da alta demanda, donos investem, cada dia mais, em serviços diversificados

» MARIANA LABOISSIÈRE
postado em 04/05/2014 00:00
 (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)







Para atender a uma crescente demanda, proprietários de brinquedotecas do Distrito Federal adotaram novas estratégias. Além de pacotes promocionais, alguns oferecem lanche no espaço e até possibilidade de reforço escolar nas imediações do estabelecimento. O Correio esteve em três espaços nos quais os donos informaram terem diversificado o serviço. Um deles estima que, este ano, o fluxo de clientes aumentou 15%. Alguns atribuem o crescimento da procura às alterações trabalhistas para contratação de domésticas (leia Para saber mais). Se antes as brinquedotecas funcionavam como alternativas esporádicas de lazer para a criançada, agora esses ambientes tornaram-se aliados dos pais nos cuidados diários com os filhos.

Antônio, 5 anos, adora espaços como esses. Pelo menos uma vez por semana, ele pede à mãe, a professora de inglês Cristina Prista, 40 anos, para frequentar brinquedotecas. ;Deixo uma hora e meia, no mínimo, e, no máximo, 2 horas e 40 minutos. Acho ótima a proposta e procuro não só quando ele me pede, mas quando quero ir ao cinema, preciso fazer compras. E ele adora. Para alguns pais, a brinquedoteca é uma alternativa, por exemplo, quando a babá falta, mas, para outros, virou necessidade, como quando precisam trabalhar e não têm ninguém para deixar;, diz Cristina.

As seis brinquedotecas procuradas pela reportagem informaram que oferecem pacotes com redução de preços para clientes com frequência semanal ou mensal. Os valores variam de R$ 28 a R$ 32 a hora. Com 30% a 50% a menos no total para pais que optam pelos planos. Depois que perdeu a babá, a bancária Érika Nakai, 38 anos, ficou em uma situação delicada. Sem parentes em Brasília, com o marido trabalhando oito horas por dia, assim como ela, não tinha com quem deixar a filha Anne, de 6 anos. ;Tive que bolar um plano B, e foi quando nos lembramos da brinquedoteca. Nesse feriado, por exemplo, tive de deixá-la por cinco horas. Mas ela se diverte bastante e confio no espaço. Por enquanto, não aderi a nenhum plano, mas, para mim, seria ótimo, pois o preço por dia fica similar ao valor de uma diarista;, calcula.

Frequência
Algumas brinquedotecas registram frequência de crianças até três vezes por semana ao longo de cinco horas por dia. ;Temos alguns clientes com esse perfil, mas não chegam a 50%. O fluxo aumentou desde que ficou mais difícil contratar babá. Então, abrimos espaço para as crianças lancharem, receberem reforço escolar, trocar de roupa;, revela a uma das proprietárias da Ciranda Kids, Wania Cristina de Moraes, com lojas no Pátio Brasil, no Águas Claras Shopping e no Taguatinga Shopping.

Na Vila Animada, no Iguatemi, o movimento nos últimos meses aumentou em 10%. A proprietária, Natália Arruda, 33 anos, faz a mesma avaliação de Wania. ;Para aqueles que têm que trabalhar oito horas seguidas, ficou difícil manter alguém que durma em casa. Então, acabam procurando a brinquedoteca ou deixando os filhos por mais tempo, principalmente aqueles que não têm a quem recorrer. Quando isso ocorre, damos lanche e mantemos contato com o pai via telefone. Geralmente, as crianças ficam tranquilas, pois temos um mix de atividades;, ressalta. O espaço conta com sete monitores em dias de semana e até 10 em fins de semana. A capacidade máxima é de 60 crianças, simultaneamente. Na última sexta-feira, o Correio esteve no local, quando pais faziam fila para usar o estabelecimento.


Para saber mais

Direitos
adquiridos


A Emenda Constitucional n; 72, aprovada por unanimidade pelo Senado em 26 de março e promulgada em 2 de abril do ano passado, estende aos empregados domésticos direitos assegurados aos demais trabalhadores. De acordo com a norma, empregadas, babás, motoristas e caseiros têm direito a controle da jornada de trabalho com limite de oito horas diárias e 44 horas semanais, pagamento pelas horas extras, Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) obrigatório e seguro-desemprego. Doze pontos da chamada PEC das Domésticas ainda precisam de regulamentação, como o pagamento do patrão de 8% da contribuição ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) sobre a remuneração do empregado por meio do Simples, 11,2% do FGTS, sendo 3,2% para o fundo de multa em caso de demissão sem justa causa e 8% para seguro contra acidente de trabalho.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação