Maternidade é o máximo

Maternidade é o máximo

postado em 04/05/2014 00:00


Outro dia li uma entrevista na revista Veja com a filósofa e feminista Camille Paglia dizendo coisas interessantes sobre a mulher moderna. Ao ser perguntada sobre onde as mulheres deveriam buscar a felicidade, ela saiu com uma resposta inesperada: ;Bem, achar que as mulheres profissionalmente bem-sucedidas são o ponto máximo da raça humana é ridículo. Vejo tantas delas sem filhos porque acreditaram que podiam ter tudo: serem bem-sucedidas e mães aos 40 anos. Minha geração inteira deu de cara com a parede. Quando chegarmos aos 70, 80 anos, acredito que a felicidade não estará com as ricas e poderosas, mas com as mulheres de classe média que conseguiram produzir grandes famílias.;
Uau! Que incrível constatar que até uma das mais respeitadas pensadoras americanas reconhece que investir numa família é infinitamente mais valioso que investir em sonhos de consumo. Concordo plenamente com ela, nada pode ser mais valioso que o amor incondicional que a mulher tem a chance de experimentar com a maternidade. Construir uma família exige tenacidade, força, perseverança, coragem, paciência e uma enorme capacidade de oferecer afeto.

Essas e tantas outras virtudes podem ser cultivadas diariamente na rotina da criação de filhos e, por maiores que sejam as dificuldades encontradas nesse caminho, sempre serão superadas pelo prazer e pela alegria de ver nossos filhotes se transformando em seres humanos plenos e, se possível, inteligentes, independentes, talentosos, honestos e amorosos! Se não, mesmo no caso de síndromes e doenças, o amor é o mesmo e, nesses casos, a possibilidade de aprendizado é ainda maior, devido à demanda de dedicação extra.
Por isso, acho que toda a sociedade deve oferecer apoio à mulher que se dispõe a viver esse milagre! A mulher que opta por ser mãe está cumprindo, acima de tudo, uma função social e merece ser reconhecida como tal. Criar filhos com amor e dedicação é a forma mais simples de transformação social. Ao dar o peito ao seu bebê, ela está proporcionando a ele a possibilidade de virar um cidadão digno. Costumo brincar que, se tivessem sido bem amamentados, os corruptos não estariam até hoje querendo mamar nas tetas do governo!
Brincadeiras à parte, uma das maiores conquistas das trabalhadoras brasileiras nos últimos tempos foi o direito à licença-maternidade de seis meses.
A maternidade realmente é o máximo!

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação