Viúva relata mentira à CNV

Viúva relata mentira à CNV

postado em 07/05/2014 00:00
 (foto: Rudy Trindade/Frame/Reuters - 27/4/14)
(foto: Rudy Trindade/Frame/Reuters - 27/4/14)

A viúva do coronel reformado Paulo Malhães, Cristina Malhães, disse que, pouco antes de morrer, ele afirmou ter jogado em um rio o corpo do deputado Rubens Paiva, morto durante uma sessão de tortura no Doi-Codi em 1971. No depoimento que deu à Comissão Estadual da Verdade, Malhães tinha confirmado a participação na operação que sumiu com o cadáver do parlamentar. Em março, ele mudou a versão em entrevista à Comissão Nacional da Verdade, negando a operação. Em reportagem publicada ontem no jornal O Dia, Cristina contou que o marido disse ter mentido no último depoimento.

Em depoimento à CNV, o coronel também admitiu que participava da equipe responsável por torturar, matar e ocultar os cadáveres das vítimas da repressão. De acordo com ele, os torturadores arrancavam os dedos e a arcada dentária para impedir a identificação dos corpos e depois os jogavam em um rio da Região Serrana, próximo à Casa da Morte.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação