Diálogo no Sudão do Sul

Diálogo no Sudão do Sul

postado em 07/05/2014 00:00
 (foto: Andreea Campeanu/Reuters )
(foto: Andreea Campeanu/Reuters )



O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, anunciou para sexta-feira, na Etiópia, um encontro entre o presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, e o líder da rebelião armada que irrompeu em dezembro passado, o ex-vice Riek Machar. Em visita ao país, Ban obteve garantias de ambos durante a visita que fez ao país, reconhecido pela ONU em 2011, para acompanhar a situação de mais de um milhão de civis que tiveram de deixar suas casas. Apenas nas últimas 72 horas, o recrudescimento dos combates pela região petrolífera de Bentiu, de onde as forças do governo tentam desalojar os insurgentes, provocou a fuga de 11 mil pessoas para território etíope.

Durante sua passagem pela capital, Juba, o dirigente da ONU, lamentou por um conflito ;sem sentido; e protestou contra o sofrimento imposto à população. ;As coisas que eu vi e ouvi me quebraram o coração e me enfureceram a alma;, disse. Ban chamou ambos os líderes a se comprometerem com ;a justa punição para os crimes cometidos; por ambas as forças e convocou-os a ;atacar as raízes; da crise. O encontro na Etiópia fora negociado pelo secretário de Estado norte-americano, John Kerry, que visitou o país na semana passada. Ontem, em Washington, Kerry anunciou sanções contra o chefe da guarda presidencial, Marial Chinoum, e contra o chefe militar dos rebeldes, Peter Gadet, acusados de ;perpetrar violências impensáveis contra os civis;.

Fuga em massa
Cidadãos da minoria étnica nuer, à qual pertence o ex-vice-presidente, cruzaram o rio Baro e foram recebidos na Etiópia por agências humanitárias que redobram os esforços desde o início dos combates. ;Os refugiados nos disseram que havia mais gente nas estradas e que muitos esperavam para fazer a travessia;, disse à agência de notícias France-Presse o porta-voz local do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), Adrian Edwards. ;A imensa maioria dos que chegam continuam sendo mulheres e crianças, mas cada vez há mais homens .; Um novo acampamento está sendo montado na Etiópia, que desde dezembro recebeu 100 mil sul-sudaneses. Mais 200 mil se distribuem entre Uganda, Sudão e Quênia, além de 900 mil que se deslocaram dentro do país.

O estopim do conflito foram disputas entre Kiir e o Machar, que lutaram juntos pela independência frente ao Sudão. Em dezembro, o presidente, da maioria étnica dinca, acusou o vice, da minoria nuer, de tramar um golpe. Machar rechaçou a denúncia, mas em seguida organizou uma força rebelde para combater o governo.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação