Tinta proibida para tatuagem

Tinta proibida para tatuagem

Portaria da Anvisa publicada no Diário Oficial da União aponta lista de 15 pigmentos que não podem ser vendidos no país por conterem ferro e cobre em quantidade superior à permitida. Apenas três marcas estão liberadas para comercialização no Brasil

» MARYNA LACERDA
postado em 07/05/2014 00:00
 (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)


A Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou, ontem, uma lista de 15 marcas de tinta para tatuagem com comercialização proibida em todo o país. De acordo com o órgão, os produtos banidos nem sequer entraram com processo para obtenção de registro e, portanto, não passaram por avaliação da concentração de metais na composição. Entre os ilegais, há pigmentos de origem americana e japonesa e também fórmulas cuja finalidade não é a pintura corporal. Os estúdios de tatuagem e estabelecimentos comerciais que mantiverem os frascos irregulares no estoque podem ter o material recolhido, conforme determina a portaria publicada no Diário Oficial da União.

Assim, permanecem em circulação apenas as três marcas com selo de registro na agência fiscalizadora. Trata-se de duas nacionais, a Electric Ink e a Iron Works, e uma estrangeira, a Starbrite. Entre as proibidas, há tintas para técnicas de caligrafia e nanquim, como a Drawing Ink 700, ou para desenho, a exemplo da Indian Ink. Outras, porém, destinam-se à tatuagem e, apesar de barradas aqui, são autorizadas nos Estados Unidos e na Europa. Em geral, as fórmulas utilizadas por profissionais no exterior têm concentração de ferro e cobre em maiores quantidades do que as permitidas no país. Por isso, são consideradas de qualidade superior, em razão da melhor fixação na pele. A tatuagem é um processo de aplicação de tinta na derme, camada intermediária da pele em que não há renovação de células.

Apesar da divulgação da lista, a situação não se altera para os revendedores, na avaliação do empresário João Bosco, 32 anos. Desde 2011, ele tem uma loja de atacado de insumos para tatuagem, na Asa Norte, e é representante de uma das tintas regularizadas no país. ;Não tem novidade nesta lista. Permanecem permitidas as que já eram e não entrou nenhuma outra;, afirma. Na avaliação de Bosco, a regulamentação de novos fabricantes facilitaria o comércio neste segmento. ;É um mercado muito específico e, hoje, nós temos um gargalo na venda de materiais, pois poucos são autorizados no país. É importante que se tenha, sim, a fiscalização, pois a tatuagem é um processo microcirúrgico;, defende. O que falta, no entanto, é clareza nos processos de cadastro de novos pigmentos. ;Precisamos entender quais são os critérios para concessão dos registros, pois a legislação brasileira é muito apertada e não reconhece nem sequer aquelas de alta qualidade autorizadas em outros países;, pondera.

Importação

Os frascos agora proibidos entravam no Brasil pelas mãos de tatuadores em viagem ao exterior. Pela importação, eram taxados, na alfândega, em 100% do valor do produto, conforme explica Hasani Pereira de Souza, 58 anos, a Medusa. Tatuadora há mais de 20 anos, ela acredita que a maior concentração de minerais não significa, necessariamente, que o produto seja tóxico. ;O pessoal preferia trazer a tinta importada, mesmo pagando caro por ela, porque o trabalho fica mais bonito, com uma qualidade melhor. Não temos comprovação de que os bons pigmentos usados lá fora são perigosos ou causam câncer. Muitas vezes, a reação alérgica é resultado da manutenção inadequada da tatuagem pela pessoa (veja Fique atento);, argumenta.

A relação de proibições confirma ainda a suspensão da marca Supreme, de fabricação nacional. A marca já havia sido banida, em janeiro, em decorrência de denúncia oferecida pelo Ministério Público de São Paulo (MPSP) contra a Tseva Indústria e Comércio de Tintas Artísticas Ltda., responsável por elaborar a composição. Um laudo emitido pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), em São Paulo, atestou, em setembro do ano passado, a presença de metais tóxicos, como titânio, chumbo, cádmio, mercúrio e nióbio. Quando em contato com a pele, estas substâncias caem na corrente sanguínea e se acumulam no cérebro. O resultado pode ser bastante prejudicial à saúde, como o aparecimento de demência, psicoses, doenças degenerativas, problemas de memória, coordenação, raciocínio, fala e cegueira.

Fique atento

Veja quais os cuidados que se deve ter ao fazer uma tatuagem

; Procure saber se algum componente da tinta provoca alergia;
; retire o curativo somente
duas horas após o término
da tatuagem;
; lave a região tatuada com
água corrente e sabão,
no mínimo, duas vezes ao dia;
; passe uma pomada cicatrizante logo após as lavagens;
; não coce ou arranque
a casca que se formar com a cicatrização;
; evite tomar sol, sauna ou banho de piscina e mar
durante 15 dias;
; evite exercícios pesados
durante 10 dias


Fonte: Medusa Tattoo

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação