DEU NO www.correiobraziliense.com.br

DEU NO www.correiobraziliense.com.br

Para saber mais sobre essas notícias, acesse www.correiobraziliense.com.br

postado em 10/05/2014 00:00



Motorista acusa passageiros de agressão

O motorista de ônibus do trajeto Rodoviária-Recreio, no Rio de Janeiro, que estaria dirigindo em alta velocidade na última segunda-feira sem parar nos pontos, provocando um tumulto dentro do coletivo, acusou um homem de agressão. Em pânico, passageiros filmaram a direção perigosa do motorista (foto), quando teve início a confusão. Segundo o condutor, identificado apenas como Renato em entrevista ao Jornal Nacional, alguém o atingiu na altura do tronco com uma arma de choque. O delegado que cuida do caso aguarda receber imagens das câmeras do circuito interno do veículo para esclarecer o crime. Dados sobre a velocidade do ônibus foram solicitados para a Rio Ônibus.


Indiciados por homicídio no caso Bernardo
A Polícia Civil do Rio Grande do Sul conclui hoje o inquérito sobre a morte de Bernardo Boldrini, 11 anos, e entrega o documento completo à Justiça na terça-feira. O pai, Leandro Boldrini, a madrasta, Graciele Ugulini, e a assistente social Edelvania Wirganovicz serão indiciados por homicídio triplamente qualificado. De acordo com a assessoria do órgão, algumas das qualificações serão omissão e ocultação de cadáver. O corpo do menino foi encontrado em Frederico Westphalen (RS), cidade a 80km de Três Passos, em 14 de abril, data em que os suspeitos foram detidos. De acordo a investigação, o menino foi morto por uma injeção letal.


Índios detidos em conflito no Sul
A Polícia Federal prendeu ontem cinco índios no município de Faxinalzinho, no norte do Rio Grande do Sul. Outros dois silvícolas foram detidos e levados à delegacia para averiguação, mas liberados em seguida. No total, a PF tenta cumprir mandados de prisão contra oito índios. Um dos presos é o chefe da aldeia do município, Kandóia Deoclides de Paula. Ele foi preso enquanto participava de uma reunião na Câmara Municipal com representantes do governo estadual e do Ministério Público. O clima segue tenso no local desde que dois agricultores foram mortos, no fim do mês passado, em decorrência de um conflito pela demarcação de terras.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação