Sr. Redator

Sr. Redator

postado em 10/05/2014 00:00

Voto consciente
O voto consciente sozinho não muda nada. Vale tanto quanto os dos milhões de dependentes do Estado. A ponto de, no Dia do Trabalho, a presidente, oriunda de um partido nascido de sindicatos, anunciar medidas que mais favoreciam o encostado, não o trabalhador, aquele que, efetivamente, pode se opor ao fisiologismo e ao patrimonialismo da política. Fiscalize a ação dos políticos e administradores públicos. Faça por escrito. Requeira, proponha ação popular, ação civil pública, cobre do Judiciário. Direito de petição aos poderes é assegurado constitucionalmente (art. 5; XXXIV). E dá resultado. Aliás, vou requerer aos órgãos competentes fiscalização na obra de recuperação de uma rodovia, até porque ingressei com ação popular a respeito. Da próxima vez, no mínimo, não fique calado diante de agressão a Joaquim Barbosa. O voto é obrigatório. Votar em ladrão, não.
; Carlos Frederico,
Asa Norte


Jair Rodrigues

Sem dizer a ninguém que ;prepare o coração;, o grande Jair Rodrigues deixa este mundo, onde durante muito tempo ocupou espaço especial. Suas apresentações sempre mostraram um artista eclético, alegre, comunicativo. Agora foi embora, em disparada, deixando um grande vazio, difícil de ser preenchido. Ele vai ser lembrado sempre com muita emoção. Quem deve estar muito alegre em recebê-lo agora é a ;pimentinha;, a Elis, com quem fazia programas memoráveis. Compensa pensar que vamos nos lembrar dele sempre, pois um artista como ele tem espaço garantido na mente de quem gosta de música de alto nível.
; Uriel Villas Boas,
Santos (SP)


Imigrantes
No artigo ;Venham haitianos; (8/5, pág. 16), o articulista dá uma de politicamente correto, dando as boas-vindas aos haitianos que estão chegando ao Brasil, via Acre, e sendo exportados para São Paulo, para desagrado do governo deste estado. Ocorre que esses imigrantes podem ser muito simpáticos, mas não trazem nenhuma qualificação, em razão das precárias condições de educação naquele país. Os haitianos seriam bem-vindos se fossem engenheiros, médicos, administradores, financistas etc. Mas eles não têm nenhuma qualificação. Precisarão de casa, comida, serviços médicos. O que darão em troca?
; Hélio Socolik,
Lago Sul


Destruição no parque
Parabéns ao GDF pela iniciativa de promover um festival gastronômico com preços populares e vários chefs consagrados, no Parque da Cidade, no fim de abril, início de maio. Muito bom mesmo. Mas e depois do festival? Quem vai arrumar o gramado destruído? Quem vai pagar por um gramado destruído? Uma fiscalização de trânsito falha, engarrafamentos, o povo estacionando em cima do gramado, e olha que o parque é cheio de estacionamentos, mas não havia ninguém para orientar e punir os infratores do trânsito.
; Nelson Ferreira da Silva,
Octogonal


Dia das Mães
Está mais do que provado que mãe é um verdadeiro anjo, pois sua maneira de ser em prol daquele que veio ao mundo não deixa dúvida quanto à sua missão na Terra. O amor de mãe pode ser traduzido em uma palavra: doação. Um amor que se doa, coloca em primeiro plano o bem-estar, a segurança de outro ser. Tenho certeza de que todos nós, estando nossa mãe aqui ou não, sentimos o coração bater mais forte neste gracioso dia. Feliz é aquele que entende que mãe é eterna, nunca se vai do nosso coração. Não podemos deixar que a data que homenageia essa pessoa especial passe sem que digamos algumas palavras de carinho.
; Jeferson Fonseca de Mello,
Águas Claras

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação