ARI CUNHA

ARI CUNHA

Desde 1960 - Visto, lido e ouvido

aricunha@dabr.com.br com Circe Cunha / circecunha.df@dabr.com.br
postado em 10/05/2014 00:00

Educação sempre
Ministério Público toma mais uma iniciativa com a autoridade que lhe é conferida de defender o direito alheio. Grupo visita várias escolas do país para observar de perto a realidade enfrentada por professores e alunos. Quem definiu bem o que viu, acompanhando a comitiva, foi a fotógrafa Claudia Martini. ;Registrei o Brasil que o Brasil desconhece.; Rodrigo Janot, procurador-geral da República, certamente ficou tocado com a situação. Declarou no programa apresentado sobre o assunto produzido pelo MP que ele é fruto do ensino público. Do grupo escolar à universidade. Maria Cristina Cordeiro, procuradora, também foi pontual sobre as visitas. ;O problema da educação é que a demanda não se impõe;, disse ela. É verdade. Na saúde, o sofrimento imediato das pessoas pede atendimento de emergência, socorro financeiro e previsão orçamentária. Já a educação agoniza em silêncio. Ela serve para os políticos que se aproveitam da omissão que vai comendo o país pelas beiradas. O pessoal do MP viu as instalações precárias, falta de material, professores exaustos com a sobrecarga, alunos sem limites, tráfico de drogas dentro de escolas, família completamente ausente. E aí o tempo passa e as regras de aprovação não escondem os índices. Estudo intitulado Curva do Aprendizado, realizado pelas empresas britânicas Pearson, do Financial Times e da Economist Inteligence Unit, com 40 países, mostra que a qualidade da educação no Brasil ainda tem muito o que evoluir se pretende, um dia, sair da rabeira de todos os rankings sobre ensino realizados mundo afora. Analisados os quesitos de habilidades em matemática, ciência e leitura, o Brasil ficou na 38; colocação, ou antepenúltima posição, superado apenas pelo México, em 39;, e pela Indonésia, no fim da lista. As primeiras posições couberam aos países asiáticos Coreia do Sul e Japão. Para uma nação que se coloca entre a 6; e a 7; economias do planeta, os seguidos rankings de avaliação da educação, feitos por diferentes países, em diversos momentos, mostram que, ao ocupar, constantemente, as últimas posições, o Brasil ainda não conseguiu reunir adequadamente desenvolvimento econômico e material com melhorias na educação. Curiosamente, em outras partes do mundo, as principais economias já aprenderam que não pode haver desenvolvimento duradouro e sustentável sem ensino de qualidade como suporte básico. No projeto MPEduc, estava prevista a visita também a cinco escolas do DF: Centro de Ensino Fundamental 11 e Escola Classe 19, em Taguatinga; Centro Educacional 03, em Planaltina; Caic Júlia Kubitscheck de Oliveira, em Sobradinho; e Centro de Ensino Fundamental 507, em Samambaia. A próxima fase, segundo o procurador da República Felipe Fritz, é reforçar a parceria com a comunidade mostrando que há audiências públicas que podem reunir pais, professores, alunos e gestão pública por uma educação melhor. (Circe Cunha)



A frase que não foi pronunciada:

;Aos amigos, tudo. Aos inimigos, a força da lei. Pensando bem, quem são os inimigos e os amigos?;
Ex-presidente Collor,
pensando na polis de Platão.


Calor
; Com o título Respostas Urbanas às Mudanças Climáticas, o 5; Seminário Internacional de Planejamento e Gestão Ambiental ocorreu na UnB. Foi apresentado um panorama preocupante sobre o futuro próximo de diversos pontos do planeta, diante do fenômeno do aquecimento global, provocado, entre outros motivos, pela queima crescente de combustíveis fósseis.

Risco
; Entre as diversas áreas e casos analisados pelo mundo, aparece um estudo feito pelas pesquisadoras Fabíola Heidrich e Renata Marson, mostrando os sérios riscos ambientais presentes hoje no Varjão, como consequência das mudanças climáticas.

Alto grau
; Nas áreas identificadas com grau de risco muito alto, o Varjão aparece em destaque e é citado como local sujeito a desabamentos, incêndios em residências, doenças causadas por lixo e águas contaminadas, alagamento e poluição do Córrego do Varjão.



História de Brasília
Ocorre-nos lembrar à referida comissão que o atual Conselho Administrativo dos Industriários é, necessariamente, corresponsável em todas as irregularidades que, porventura, se vierem a apurar, porque, exceto os representantes nomeados pelo sr. Jânio Quadros, todos os demais eram do seu Conselho Fiscal nesses últimos anos. (Publicado em 16/7/1961)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação