>> DEU no www.correiobraziliense.com.br

>> DEU no www.correiobraziliense.com.br

postado em 17/05/2014 00:00

Parentes de escrivã processarão o estado
A família da escrivã Loane Maranhão Thé, 32 anos, morta na última quinta-feira ao ser apunhalada no pescoço enquanto colhia o depoimento do gari Francisco Alves, 43, suspeito de estupro, processará o estado do Maranhão. O crime ocorreu em Caxias, cidade a 363km de São Luís. O tio da vítima e advogado da família, Nazareno Thé, também disse que acompanhará as investigações sobre a morte da sobrinha e lutará para que o criminoso pague. Francisco Alves foi intimado a depor depois que as duas filhas dele, de 15 e 17 anos, procuraram a polícia e relataram abuso sexual desde que tinham 9 e 10 anos. A escrivã foi esfaqueada no momento em que colhia o depoimento do suspeito.

MPF recorre de decisão sobre umbanda e candomblé
O Ministério Público Federal (MPF) do Rio de Janeiro recorreu contra uma decisão em primeira instância da Justiça Federal que não reconhece crenças de matriz africana como religiões. A Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) também se manifestou em relação à decisão. ;Não cabe à Justiça definir o que é religião. O magistrado tomou uma posição de acordo com uma visão pessoal;, disse Silvany Euclênio, secretária de Políticas para Comunidades Tradicionais. No começo deste ano, o MPF entrou com uma ação pedindo que fossem retirados da internet vídeos considerados ofensivos a umbanda e ao candomblé. Um deles mostra a entrevista de um ;ex-macumbeiro, hoje liberto pelo poder de Deus;. Ao negar o pedido, o juiz Eugenio Rosa de Araújo, da 17; Vara Federal do Rio, argumentou que ;manifestações religiosas afro-brasileiros não se constituem religião;. A decisão diz ainda que essas práticas não contêm traços necessários de uma religião, como um texto base.

Ministério Público aceita denuncia contra pai de Bernardo
O pai e a madrasta de Bernardo, Leandro Boldrini e Graciele Ugulini, devem responder a um processo criminal sob acusação de terem planejado a morte do garoto, no mês passado. A Justiça aceitou ontem a denúncia contra quatro pessoas acusadas de envolvimento na morte do menino, de 11 anos, no interior do Rio Grande do Sul. Para o Ministério Público, que ofereceu a denúncia, o pai atuou como mentor e patrocinador do crime, executado pela mulher. Também são acusados a assistente social e amiga da madrasta Edelvânia Wirganovicz, que admitiu ter ajudado, e um irmão dela, o motorista Evandro Wirganovicz, suspeito de ter ajudado na ocultação do corpo.

;Vovó do pó; é detida em Copacabana
Uma idosa acusada de tráfico de drogas foi presa ontem em Copacabana, no Rio de Janeiro. Conhecida como a ;vovó do pó;, Marlene Oliveira Cavalcante da Silveira, 75 anos, era observada havia pelo menos um mês. Ela é suspeita de participar de um esquema de venda de entorpecentes no edifício Richard, onde foi presa. Em fevereiro deste ano, o prédio foi alvo de uma operação da Polícia Civil, que expediu 11 mandados de busca e apreensão.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação