Promotores têm apoio de colegas

Promotores têm apoio de colegas

postado em 17/05/2014 00:00
O Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas, que reúne representantes dos Ministérios Públicos de todo o país, declarou apoio aos promotores do DF que participaram das investigações da Caixa da Pandora. No mês passado, advogados de nove acusados de envolvimento no esquema pediram à Justiça o afastamento dos promotores. O argumento dos defensores dos acusados era de que os responsáveis pela apuração do caso teriam sido citados em depoimentos de Durval Barbosa como supostos recebedores de propina de empresas de coleta de lixo.

Em nota, os integrantes do GNCOC rechaçaram a atuação dos advogados. ;O grupo vem a público, em razão dos recentes ataques contra a honra e a imagem dos combativos promotores do Gaeco do MPDFT, proferidos por parte dos advogados de alguns investigados na Operação Caixa de Pandora, repudiar tal postura e reafirmar total apoio e irrestrita confiança aos valorosos colegas;, diz trecho da nota divulgada pelo grupo.

Por conta das declarações dos advogados, os promotores do DF entraram com uma representação criminal, o que foi considerado pela Ordem dos Advogados do Brasil como uma tentativa de ;criminalizar a liberdade de expressão; dos defensores. Em nota, os promotores do Gaeco rebateram a OAB. ;Pelo contrário, trata-se de responsabilizá-los por propalarem calúnias fora do exercício da advocacia e do direito de defesa dos réus;, alegaram os integrantes do Gaeco.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação