Aécio dá aval a Alckmin

Aécio dá aval a Alckmin

Juliana Cipriani
postado em 27/05/2014 00:00
 (foto: PSDB/Divulgação)
(foto: PSDB/Divulgação)

Depois de se reunir por cerca de uma hora com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), o senador e pré-candidato tucano ao Palácio do Planalto, Aécio Neves, liberou o paulista para se aliar ao PSB, partido do ex-governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos. A decisão ocorre mesmo depois de os socialistas romperem com um acordo de apoiar o apadrinhado de Aécio em Minas, o ex-ministro das Comunicações Pimenta da Veiga (PSDB), e partir para a candidatura própria na disputa pelo governo mineiro.

Alckmin vem tentando fechar um acordo com o PSB para reforçar a candidatura à reeleição, mas enfrenta entraves por causa da candidata a vice-presidente na chapa socialista, a ex-senadora Marina Silva. Também em Minas Gerais, ela patrocinou a candidatura do ambientalista Apolo Heringer, que agora disputa com o presidente do partido no estado, Júlio Delgado, a vaga de candidato ao governo. No mês passado, quando as pesquisas eleitorais começaram a indicar as chances de um segundo turno, o próprio Eduardo Campos teria sinalizado o rompimento do pacto de não agressão que havia feito com Aécio.

A divergência do tucano, pelo menos no discurso, parece não ter afetado os encaminhamentos em São Paulo, maior colégio eleitoral do país. ;A decisão que ele (Alckmin) tomar em São Paulo é a nossa decisão. Ele tem que ter absoluta liberdade, e o partido tem dado a ele essa liberdade, para construir a aliança que seja mais confortável à sua caminhada. Com Geraldo Alckmin fortalecido em São Paulo, o PSDB está fortalecido no Brasil inteiro;, afirmou Aécio, em entrevista no Palácio dos Bandeirantes.

O tucano disse que fará uma campanha ;muito próxima; de Alckmin, que tem ajudado na negociação do apoio nacional de legendas nanicas como PTN, PTC, PSL e PEN. O senador mineiro se reuniu também com o PMN em São Paulo.

Ataques
Enquanto Aécio se encontrava com Geraldo Alckmin, o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) saía em defesa do colega mineiro em Brasília. O tucano usou a tribuna do Senado para cobrar punição à prefeitura de Guarulhos, governada pelo PT, de onde, segundo denúncia publicada no fim de semana, teriam sido criadas páginas de ataques à candidatura de Aécio.

De acordo com o correligionário, uma ;usina de dossiês; tem sido acionada nas últimas campanhas eleitorais para tentar prejudicar os concorrentes do PT nas urnas. ;É covarde essa campanha de calúnia nas redes. São ratos de esgoto da política imunda que se apresentam em período eleitoral;, afirmou Dias.

;O partido tem dado a ele essa liberdade, para construir a aliança que seja mais confortável à sua caminhada. Com Geraldo Alckmin fortalecido em São Paulo, o PSDB está fortalecido no Brasil inteiro;
Aécio Neves, senador e pré-candidato do PSDB à Presidência da República

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação