Sr. Redator

Sr. Redator

postado em 27/05/2014 00:00

Copa
Não tenho nenhuma dúvida: Lula deu um presente de grego para Dilma, colocando no colo dela duas bombas de retardo, a Copa e as Olimpíadas. Era fácil prever que, diante de nossa incapacidade crônica de gestão, não tínhamos condições de realizar com eficiência os eventos. Enquanto isso, empresários e banqueiros oportunistas que se esbaldaram no governo Lula pedem sua volta e pregam o ;quanto pior, melhor;. Para apimentar a discussão, surge como impávido cruzado o Ronaldão, membro do Comitê Organizador da Copa, disparando sandices, com declarações de viés político. Lembro-me de que, ao aceitar o cargo, declarou marotamente que o fazia ;por amor ao país;, e nada cobraria. Ora, faturou cinquenta vezes mais como garoto-propaganda. Bem, pelo menos se manifestou sobre os desmandos nos preparativos da Copa. A pífia e inepta oposição atual, nem isso. Tem ficado quietinha. Afinal, podemos ganhar e ficariam ainda mais desacreditados. Hipocritamente, preferem esperar para ver se o circo pega fogo.
; Renato Vivacqua,
Asa Norte


; Ao passar pela Rodoviária do Plano Piloto, ouvi um grupo de pessoas com megafones, que se diziam do PSol, incitando a população a participar de manifestações nos dias de jogos da Copa. Atacavam a Fifa, o governo e bradavam com dados distorcidos. Sou contra alguns equívocos cometidos desde a nossa candidatura. Contudo, protestar a esta altura do campeonato é ato de quem aposta na anarquia. Insanidade total!
; Rogério Bulgacov,
Brasília


Vira-latas
Realmente, dona Dilma, complexo de vira-latas nós não temos mais. Esse ficou para trás. Hoje, nós temos certeza de que, para o seu governo e suas políticas, estamos bem abaixo de um reles vira-lata. Ou a forma como somos tratados nos alça à categoria de puro-sangue? Vá a um hospital público; viva com medo, trancado dentro de casa; veja simples atitudes do cotidiano, como ir à padaria, se tornar risco de morte; veja a porcaria que virou a educação, formando analfabetos funcionais aos milhares e remediada com cotas que nivelam por baixo; veja nossas legislações, totalmente pró-bandidos, que desanimam até o mais probo dos homens, ao ver políticos corruptos, traficantes, assassinos e tudo o que não presta se livrando da cadeia sob argumentos jurídicos surreais; veja o uso de bolsas, que eram para ser uma ajuda, num primeiro momento, para as pessoas saírem da miséria, e viraram moeda de troca por voto; e por aí vai. Realmente, grande gerente, se a forma como temos sido tratados é motivo de orgulho, que me desculpem os que os que acham que são puro-sangue, mas eu vivo em país vira-lata.
; Peter Guimarães Stoimenof,
Asa Norte


Serviço público

Quando a Princesa Isabel aboliu a escravidão, não imaginava que o povo brasileiro seria escravo no próprio país. Pois essa é a real situação em pleno século 21. Os trabalhadores da iniciativa privada a cada dia trabalham mais para pagar os impostos que garantem boa vida aos sanguessugas, os filhos ricos da República. Enquanto acordamos cedo, cumprimos horário, sujeitamo-nos às regras do mercado de trabalho, o funcionalismo público nos fornece serviços públicos medíocres ; a famigerada estabilidade existe para isso ;, faz greves, causa prejuízos bilionários ao país, desperdiça recursos, expõe famílias à bandidagem, à falta de saúde e de educação, e ninguém os pune, pois são intocáveis, só possuem direitos, nada de deveres. O povo é desrespeitado em tudo. E, se ousar reclamar daquele expediente que espera há anos um simples despacho, é constrangido com a frase: ;Desacatar funcionário público é crime;. Escravo não tem direito de reclamar, só obrigação de pagar. Acorda, Brasil!
; Peter Guimarães Stoimenof,
Águas Claras

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação