Abismo financeiro

Abismo financeiro

Enquanto Brasil e Alemanha preparam ofertas milionárias pelo título, Camarões %u2014 adversário da Seleção em Brasília %u2014 ameaça entrar em greve. Incentivo dos Leões Indomáveis pode ser até 17 vezes menor que o da CBF

postado em 27/05/2014 00:00
 (foto: Vanderlei Almeida/AFP




)
(foto: Vanderlei Almeida/AFP )


Faltam 16 dias para o início da Copa do Mundo, mas, nos bastidores, a guerra financeira deixa claro o abismo econômico entre as 32 seleções classificadas para o torneio da Fifa. Enquanto superpotências da bola ; como Brasil e Alemanha ; abrem o cofre para dopar financeiramente seus badalados elencos na caça ao título, os jogadores de Camarões, adversário do Brasil, em 23 de junho, no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, ameaçam entrar em greve. Por enquanto, não há dinheiro no mundo oferecido pelos políticos e pelos cartolas do país africano capaz de deter os Leões Indomáveis.

Em novembro do ano passado, a Federação Alemã deu início ao leilão. A entidade presidida por Wolfgang Niersbach prometeu dar a cada jogador 300 mil euros (R$ 900 mil) pelo tetracampeonato. A quantia é a mesma oferecida pelo título da Eurocopa, em 2012.

Na Seleção Brasileira, a expectativa é de que o presidente da CBF, José Maria Marin, ofereça mais de R$ 1 milhão a cada convocado de Luiz Felipe Scolari pelo sonho do hexa. A entidade não oficializou o valor, mas uma das fontes da receita é conhecida. A Fifa pagará US$ 35 milhões (R$ 77,7 milhões) à seleção campeã da Copa do Mundo. A intenção da cúpula da CBF é entregar 60% do valor ; US$ 46,6 milhões ao elenco para dividir em partes iguais. Jogadores e comissão técnica receberiam R$ 1,03 milhão.

O capitão e zagueiro Thiago Silva é o representante da Seleção na negociação com a cúpula da CBF. ;Se há uma coisa que ninguém se preocupa nessa Copa é com a premiação. Eu conversei sobre isso com o Thiago Silva e ele gostou do que foi proposto. Os jogadores estão mais interessados em conquistar o título;, disse José Maria Marin. A Fifa aumentou em 37% a premiação em comparação com a Copa da África do Sul, em 2010. No total, a entidade distribuirá no Brasil US$ 573 milhões (R$ 1,272 bilhão).

Indomáveis
Enquanto Brasil e Alemanha necessitam de carros fortes para transportar tanto dinheiro, Camarões conta as moedas para agradar aos jogadores. Insatisfeitos com o valor da premiação oferecida pela Federação Camaronesa e pelo Ministério dos Esporte, os Leões Indomáveis ameaçam entrar em greve. A oferta inicial era de 40 mil francos (cerca de R$ 50 mil) para cada atleta. A oferta seria inferior aos 45 milhões de francos prometidos em 2010. Depois, a proposta foi aumentada para R$ 57 mil e novamente rejeitada. Segundo a imprensa africana, Gana pagará o equivalente a 35 milhões de francos CFA como bônus de participação, enquanto a Costa do Marfim promete 50 milhões de francos CFA. As duas equipes africanas também se exibirão em Brasília na fase de grupos.


No último sábado, Raphael Nkoa, assessor de imprensa da seleção de Camarões, disse que não havia problema sobre premiação e foi desmentido pelo meia Makoun. ;É claro que há uma discussão sobre prêmios. Mas preferimos não falar em valores até que tudo seja oficializado;, afirmou o jogador.

;Se há uma coisa que ninguém se preocupa nessa Copa é com a premiação. Eu conversei sobre isso com o Thiago Silva (capitão) e ele gostou do que foi proposto;
José Maria Marin, presidente da CBF

;É claro que há uma discussão sobre prêmios. Mas preferimos não falar em valores até que tudo seja oficializado;
Makoun, meia de Camarões


R$ 1 milhão
Possível valor da premiação de cada jogador do Brasil em caso de título

R$ 900 mil
Premiação anunciada pela Federação Alemã pela conquista do tetra

R$ 57 mil
Última proposta feita pelo Ministério dos Esporte e pela federação aos jogadores de Camarões

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação