Seleção transforma as ruas em comércio

Seleção transforma as ruas em comércio

postado em 27/05/2014 00:00
 (foto: Paulo Galvao/EM

)
(foto: Paulo Galvao/EM )


A chegada dos jogadores da Seleção Brasileira mexeu com a rotina dos moradores de Teresópolis (RJ). Bem antes de o ônibus com a delegação chegar, muita gente se posicionou no primeiro bloqueio feito pela Polícia Militar (PM) no acesso à Granja Comary, nas esquinas das ruas Flávio Bortoluzzi de Souza e Mucuri. Todos se misturaram para defender seus interesses e aproveitar a visibilidade proporcionada pela presença da imprensa.

Entre eles, estava o empresário Jorge Fernando Santos, que distribuía panfletos tentando alugar um chalé de sua propriedade ;muito perto; do Centro de Treinamentos (CT) da CBF. ;É mais barato que os hotéis estão cobrando e tem tudo que as pessoas precisam, está completamente mobiliado;, disse ele, que cobra R$ 600 pela diária do local, que tem dois quartos, duas salas, dois banheiros, cozinha, área de serviço, piscina, churrasqueira e piscina de água corrente, ;perfeito para lua de mel;.

Os ambulantes também se fizeram presentes, vendendo tocas e luvas verde-amarelas. Porém, diante da insatisfação da maioria dos presentes e também do clima agradável da segunda-feira na Região Serrana do Rio de Janeiro, as vendas não foram positivas.

Apoio
Mas também houve quem apareceu para apoiar a Seleção Brasileira. Mesmo sendo pouco mais de uma dezena, eles fizeram bastante barulho para chamar a atenção, gritando ;Brasil; e o nome de alguns jogadores, como Neymar e Fred, ainda que o ônibus com os jogadores não estivesse nem perto.

Um grupo chamado Heróis do Complexo tentou emplacar uma música feita para embalar a Seleção Brasileira durante a Copa do Mundo. No folheto, havia o endereço na internet para as pessoas conhecessem a melodia. (PG)

1 mil
Número de jornalistas credenciados para a cobertura da Seleção, muitos deles estrangeiros

Felipão bem-humorado

O técnico da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari, estava bem-humorado ontem pela manhã. Ele conferiu os campos da Granja Comary, participou ao vivo de um programa da emissora de tevê que detém os direitos de transmissão dos jogo do Brasil e fez questão de cumprimentar os centenas de jornalistas que estão fazendo a cobertura. Aos mais ;chegados;, distribuiu abraços e fez brincadeiras.

Parede tem ouvido
Enquanto o coordenador técnico Carlos Alberto Parreira e o assistente técnico Flávio Murtosa concediam entrevista coletiva, na tarde de ontem, Luiz Felipe Scolari se posicionou logo atrás do banner para escutar o que eles diziam. Na foto publicada pela CBF no microblog Twitter, a cara do treinador não estava das melhores. Talvez, por não concordar com alguma pergunta.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação