A crônica de uma morte inesperada

A crônica de uma morte inesperada

Queda de helicóptero no interior goiano mata o ex-jogador do Goiás e do Internacional e mais quatro pessoas, entre elas um primo do governador do estado, Marconi Perillo. Velório e enterro estão marcados para hoje em Goiânia

» AMANDA ALMEIDA » ROBERTA MACHADO » ALMIRO MARCOS » GRASIELLE CASTRO
postado em 08/06/2014 00:00
 (foto: Ricardo Fabrello/Folhapress)
(foto: Ricardo Fabrello/Folhapress)



Ídolo das torcidas do Goiás e do Internacional, Fernando Lúcio da Costa, o Fernandão, morreu ontem, aos 36 anos, em acidente de helicóptero em Aruanã (GO), a 315km de Goiânia. A queda ; investigada pela Polícia Civil e ainda sem possíveis causas identificadas ; matou também as outras quatro pessoas que ocupavam a aeronave. Velado no ginásio Luís Torres de Abreu, no complexo da Serrinha, na capital goiana, o corpo do ex-atacante será enterrado hoje na mesma cidade. Em Porto Alegre, será celebrada uma missa em homenagem a Fernandão.

As outras vítimas são o piloto e coronel da reserva Milton Ananias; o vereador de Palmeiras de Goiás Edmilson de Souza Leme; o caseiro de uma fazenda de Fernandão, Lindomar Mendes Vieira; e Antônio de Pádua, primo do governador de Goiás, Marconi Perillo. Os cinco estavam no Acampamento Fubreca, próximo às margens do Rio Araguaia, na divisa de Goiás e Mato Grosso. Nesta época do ano, o nível da água do rio baixa, formando praias doces, o que atrai turistas e moradores da região para acampamentos.

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros da região, tenente-coronel Jailton Figueiredo, que participou da operação de resgate, o grupo decolou por volta da 1h, no sábado, rumo a uma casa de veraneio de Fernandão no centro de Aruanã, a 20km da Praia do Macaco, onde fica o Fubreca. Menos de um minuto depois, o helicóptero caiu, sem explodir, a cerca de apenas 300 metros do ponto de onde decolou. Pessoas que estavam no acampamento ouviram o barulho do impacto com o solo e correram ao local.

Um barqueiro acionou o Corpo de Bombeiros, que chegou ao local às 2h. ;Fernandão era o único com sinais de vida. Mas, infelizmente, não resistiu no trajeto até o Hospital Municipal de Aruanã;, relata Figueiredo, acrescentando que o ex-atacante estava inconsciente, com muitos ferimentos e dificuldade de respirar. Do hospital, que nem chegou a fazer atendimento, o corpo seguiu para o Instituto Médico Legal (IML) da Cidade de Goiás, para onde os outros mortos já haviam sido levados.

A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar o acidente. ;Fizemos a perícia no local e já identificamos testemunhas. Não teve nenhuma ocular. São amigos que estavam no mesmo acampamento;, diz a delegada de Aruanã, Bruna Coelho. De acordo com ela, ainda não há suspeitas do que causou a queda e a apuração depende fundamentalmente dos laudos da perícia, que devem ficar prontos em 30 dias. Equipe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Aeronáutica, também analisou o local.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que os documentos do helicóptero ; certificado de aeronavegabilidade e declaração de inspeção anual de manutenção ; estavam regularizados. Os documentos do piloto ainda serão verificados.

Amigos
Nascido em Goiânia, Fernandão voltou à cidade em 2011 depois de deixar os gramados. Tinha fazenda em Palmeiras de Goiás, onde fez amizade com os outros ocupantes do helicóptero. Amigos que estavam no acampamento relataram à polícia que a mulher do ex-atacante, Fernanda, e dois filhos fizeram o mesmo trajeto que ele faria (acampamento/centro de Aruanã) pouco antes do acidente, no mesmo helicóptero.

Edmilson, que também era cabo da reserva da Polícia Militar, foi eleito vereador pela cidade de Palmeiras de Goiás pela primeira vez em 2000. Ele cumpria seu quarto mandato. De acordo com o presidente da Câmara Municipal da cidade, Ailton Fernando, o vereador era amigo do jogador Fernandão desde que ele jogava pelo Goiás, e era companhia frequente do ídolo do futebol. ;Ele era uma pessoa que gostava muito de esportes. Era muito trabalhador e tinha sempre uma posição muito forte;, recorda Ailton. Edmilson tinha 48 anos, e deixou uma esposa e três filhos.

Antônio de Pádua, conhecido como Bidó, também morava em Palmeiras de Goiás, onde mantinha uma fazenda produtora de soja e goiaba. Era outro que fazia parte do grupo de amigos íntimos de Fernandão e sempre viajava com o jogador para Aruanã. ;Era um lugar de difícil acesso, então eles iam sempre de helicóptero. Ninguém nunca se preocupou porque ele (Bidó) sempre gostou muito de avião. Ele tinha planadores, ultraleve;, conta Fátima, prima do produtor rural. Bidó tinha 56 anos, era divorciado, e deixa três filhas e duas netas.

A Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) publicou nota lamentando a morte de Milton e do vereador Edmilson, que era cabo da reserva. ;Neste momento nenhuma palavra humana é capaz de encorajá-los e confortá-los, mas pedimos a Deus que derrame sobre cada membro dessa família o conforto que só Ele pode oferecer;, diz o comunicado. O vereador Edmilson e Bidó foram velados ontem à noite, no ginásio de Esportes Hamilton de Barros Velasco, em Palmeiras de Goiás.

Repercussão
A tristeza e o lamento pela morte do ex-jogador Fernandão tomou conta do dia dos fãs do Internacional e do Goiás. Centenas de pessoas foram ao estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, prestar uma homenagem. Em um altar improvisado do lado de fora do estádio, que está cedido para a Fifa, torcedores colaram fotos, colocaram flores e choraram. O presidente do Goiás, Sérgio Rassi, decretou luto oficial no clube. ;Contudo, o luto do Goiás não será de três dias, mas sim eterno, é uma grande perda para todos nós;, lamentou. Uma missa será celebrada hoje às 17h para a torcida colorada no auditório Araújo Vianna, em Porto Alegre.

Entre as diversas homenagens que recebeu, está a da presidente Dilma Rousseff. Pelo Twitter, ela disse que o ex-jogador era exemplo de caráter fora do campo. ;Fernandão deixará saudades;, publicou na rede. O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati (PDT), disse que será decretado luto de três dias na cidade por causa da morte do jogador.

O SporTV, que tinha contratado o ex-jogador há dois meses como comentarista para a Copa do Mundo, também lamentou a perda. Em nota, ressaltou que é indescritível a dor e o sentimento de perda que atingiu a equipe do canal. ;A contratação dele foi, desde o início, um reconhecimento ao caráter e ao modelo de atleta que se consagrou nos estádios brasileiros pela bravura com que sempre enfrentou desafios e pela imagem de homem, pai de família e atleta correto e exemplar;, diz trecho da nota.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação