Vitória do diálogo

Vitória do diálogo

Com 50,9% dos votos, Juan Manuel Santos se reelege presidente, em votação apertada e considerada um referendo sobre as negociações com a guerrilha esquerdista das Farc. Líder promete paz "sem impunidade e justa" e prevê profundas reformas no país

postado em 16/06/2014 00:00







Depois de uma acirrada disputa presidencial, Juan Manuel Santos, 62 anos, conseguiu se reeleger para o comando da Colômbia em uma vitória apertada contra o candidato de extrema direita Oscar Iván Zuluaga, 55. Com 100% das urnas apuradas, Santos obteve 50,95% dos votos válidos ante a 45% de seu oponente e 4,03% de votos em branco. O pleito era considerado um referendo que testaria o apoio popular à política de diálogo com grupos guerrilheiros promovida pelo presidente. Além de proporcionar ao chefe de Estado, um liberal de centro-direita, mais quatro anos à frente do Palácio de Nariño, o resultado assegura a disposição de Bogotá em prosseguir com as negociações para o fim do conflito armado que aflige o país há mais de 50 anos. ;Muito obrigado, colombianos! Essa é a geração da paz;, comemorou Santos.

O presidente comemorou a conquista nas urnas ao lado da família e de simpatizantes na sede da coligação Unidade Nacional, em Bogotá. Cercado por bandeiras da Colômbia, Santos exibiu a palavra ;paz; escrita na palma da mão direita e enalteceu a disposição dos eleitores em dar prosseguimento às negociações com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). ;Triunfou a unidade, milhões de compatriotas que quiseram trocar o medo pela esperança. Seu apoio nos obriga a trabalhar e melhorar cada dia mais;, discursou.

O resultado apertado do escrutínio era esperado ; os dois candidatos chegaram à etapa final da corrida eleitoral empatados na maioria das pesquisas de intenção de voto, protagonizando uma das disputas mais acirradas do país. A eleição presidencial era considerada determinante para a continuidade do processo de paz com as Farc, e o tema esteve no centro dos debates. Desde novembro de 2012, Santos dialoga com os líderes do grupo marxista em Havana. Também deu início às articulações para negociar com o Exército de Libertação Nacional (ELN), a segunda maior guerrilha do país. Enquanto o mandatário buscava seguir com o debate, Zuluaga prometia rever os termos dos acordos firmados em Havana e investir na resposta militar aos guerrilheiros.

Ajustes
Em um gesto de reconhecimento da parcela de eleitores que optou pelas propostas do adversário, Santos considerou fazer ;ajustes; no processo de paz e garantiu que ;haverá uma paz sem impunidade; e ;justa;. ;Temos que corrigir o que temos que corrigir. Mas a mensagem de hoje para as Farc e para o ELN é clara: esse é o fim e é preciso chegar a ele com seriedade;.

Segundo o jornal El Tiempo, Zuluaga, que saiu na frente no primeiro turno com 29,3% dos votos, perdeu terreno para Santos nos departamentos (estados) de Santander, Norte de Santander, Arauca, no norte do país, e em Bogotá. Os números da capital, fomentados por alianças feitas entre o presidente e os partidos de esquerda, foram cruciais para a vitória. Lá, Santos obteve mais de 1,3 milhão de votos. O candidato do Centro Democrático felicitou o líder reeleito pela vitória e afirmou que a ;luta continua;. ;Lutaremos para que todas as políticas sobre a qual falamos (durante a campanha) se cumpram;, disse. Zuluaga considerou que a disputa eleitoral foi ;uma batalha cheia de ideias e de entusiasmo pela Colômbia;.

Cerca de 15 milhões de eleitores participaram voluntariamente do processo. Apesar de o número representar uma abstenção de 54%, o pleito teve 2,4 milhões de participantes a mais que os registrados no primeiro turno, em 25 de maio, quando a abstenção chegou a 60%. A votação ocorreu em meio a um cessar-fogo decretado pelas Farc, em sinal de cooperação com o processo democrático. Embora as autoridades tenham considerado que as eleições ocorreram com tranquilidade, a imprensa relatou casos de intimidação a eleitores em cidades do departamento de Chocó, no oeste do país. A organização não governamental Missão de Observação Eleitoral (MOE) recebeu denúncias de destruição de material eleitoral em diversas cidades da região.

Juan Manuel Santos depositou o voto pela manhã, na companhia de sua mulher e dos filhos, em um centro eleitoral instalado na sede do Congresso da Colômbia. ;Ontem (sábado), nossa seleção da Colômbia venceu; hoje, nossa democracia vence. Faço um convite a todos os colombianos, porque, na medida em que votemos na paz, com tranquilidade, de acordo com nossa consciência, nosso país será libertado;, declarou o presidente, referindo-se à estreia da seleção de seu país na Copa do Mundo, com uma vitória de 3 a 0 sobre a Grécia.





Rumo ao acordo

As negociações de paz entre as Farc e o governo colombiano tiveram início em novembro de 2012. Conheça os cinco pontos que pautam o diálogo:

Concluídos
Desenvolvimento agrário: chegou-se a um acordo sobre o tema, razão da formação das Farc, em 1964. O pacto busca promover o desenvolvimento das áreas rurais e a entrega de terras.

Participação política: as Farc e o governo acordaram sobre a determinação de direitos e de garantias para a oposição, medidas para impulsionar a participação cidadã e o acesso a meios de comunicação. O acordo prevê a promoção da participação política em igualdade de condições e de segurança, e define a criação de zonas especiais para garantir a presença de representantes de áreas afetadas pelo confronto na Câmara dos Deputados.

Narcotráfico: Em maio passado, as Farc prometeram substituir e erradicar cultivos ilícitos; limpar os campos minados; estabelecer uma nova política de combate à lavagem de dinheiro; e se desvincular totalmente do narcotráfico após a assinatura de um acordo final de paz.

Pendentes
Desmobilização: enquanto o governo busca a desmobilização da guerrilha, as Farc temem ser alvo de milícias rivais. Analistas creem que guerrilheiros podem baixar as armas, mas não entregá-las.

Reparação das vítimas: a discussão deve debater a punição de responsáveis por abusos de direitos humanos e a concessão de anistias, uma vez que membros das Farc não aceitam ser julgados e condenados à prisão.


A voz das urnas

Os resultados das eleições colombianas, com 100% das mesas apuradas:

Juan Manuel Santos
50,95%
7.816.986 votos

Óscar Iván Zuluaga

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação