A revanche dos ianques

A revanche dos ianques

Eliminados por Gana nas oitavas de final de 2010, os Estados Unidos querem dar o troco hoje. Técnico da seleção americana faz média com os brasileiros na tentativa de conquistar o apoio da torcida anfitriã

postado em 16/06/2014 00:00
 (foto: Toru Hanai/Reuters)
(foto: Toru Hanai/Reuters)

Na véspera da estreia na Copa, hoje, contra Gana, às 19h, em Natal, o técnico dos Estados Unidos fez média com os brasileiros. Após comandar um treino vetado à imprensa e aos torcedores, Jürgen Klinsmann publicou, em uma rede social, mensagem exaltando os anfitriões do torneio. O alemão disse que o Brasil ;abraçou; a competição. ;Vendo os jogos e viajando por aí, é ótimo ver como os brasileiros abraçaram a sua Copa do Mundo;, escreveu Klinsmann, que hoje comanda os norte-americanos em uma reedição da partida das oitavas de final da África do Sul, em 2010.

Há quatro anos, os africanos se classificaram às quartas após venceram por 2 x 1, na prorrogação, mas na partida seguinte sofreram derrota cruel para o Uruguai nos pênaltis, depois que Gyan desperdiçou uma penalidade máxima no último minuto do tempo extra, um gol que levaria Gana para as semifinais. Depois de atuar como auxiliar técnico no torneio de 2010, Kwesi Appiah assumiu o comando da equipe e será o primeiro ganense a dirigir as Estrelas Negras em uma Copa do Mundo.

Com duas vagas em disputa, os teóricos favoritos do grupo são Portugal e Alemanha, mas tanto Gana como Estados Unidos demonstraram, nos últimos anos, que são capazes de derrotar qualquer rival, e ninguém descarta uma eventual surpresa entre os classificados.

Estrelas
Gana tem uma base formada por jogadores que são destaques em seus clubes na Europa, como Kwadwo Asamoah (Juventus), Michael Essien e Sulley Muntari (Milan), Kevin-Prince Boateng (Schalke 04) e Jordan Ayew (Olympique de Marselha). Além disso, o grupo conta com o artilheiro Abdul Majeed Waris, do Spartak Moscou, mas que passou os últimos seis meses emprestado ao Valenciennes da França.

Na última entrevista antes do jogo, Appiah comentou ontem as cobranças sobre a equipe africana. ;Estamos sempre sob pressão. Uma vez que seus predecessores chegaram até certo ponto, é claro que isso coloca pressão que você vá mais longe. Não posso dizer que vai ser fácil, mas nós nos preparamos muito bem e acredito que vamos ter um desempenho que vai deixar o país orgulhoso;, disse Appiah, que recebeu o apelido de ;assassino silencioso; por sua maneira taciturna de comandar a equipe.

A seleção norte-americana reconhece a qualidade do elenco rival. ;Não nos consideramos os azarões, embora muitos nos vejam assim. É, provavelmente, o grupo mais difícil da Copa do Mundo. Estamos impacientes para jogar a primeira partida contra Gana;, afirmou o técnico Klinsmann.

O veterano meia Kyle Beckerman disse ter ficado surpreso com a atuação de Gana no amistoso em que a equipe goleou a Coreia do Sul por 4 x 0 na semana passada, com três gols de Ayew e um de Majeed Waris. ;Jogaram muito bem. São fortes, rápidos e bons tecnicamente. Teremos que fazer um grande esforço.;


GANA x ESTADOS UNIDOS
19h
Arena das Dunas ; Natal

Transmissão: Globo, Bandeirantes, SporTV, ESPN Brasil, Fox Sports e BandSports

Copa do Mundo ; Grupo G
1; rodada

GANA
Dauda; Afful, Boye, Mensah, Asamoah; Rabiu, Muntari; Wakaso, Boateng, A. Ayew; Gyan
Técnico: James Kwesi Appiah

ESTADOS UNIDOS
Howard; Johnson, Besler, Cameron, Beasley; Bedoya, Beckerman, Jones, Bradley; Dempsey, Altidore
Técnica: Jürgen Klinsmann
Árbitro: Jonas Eriksson

Árbitro: Jonas Eriksson (Suécia)
Assistentes Mathias Klasenius (Suécia), Daniel Warnmark (Suécia) e Norbert Hauata (Taiti)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação