Vida louca

Vida louca

Versos de um crime, dirigido pelo estreante John Krokidas, em cartaz na cidade, lança luzes sobre a trajetória acidentada dos poetas Allen Ginsberg e Jack Kerouac

Ricardo Daehn
postado em 16/06/2014 00:00
 (foto: Larry Busacca/Getty Images/AFP - 8/9/13)
(foto: Larry Busacca/Getty Images/AFP - 8/9/13)



Vistos assim, como descreve o ator Daniel Radcliffe, sob a ótica de serem os ;hipsters originais;, desligados de parâmetros sociais reinantes, os personagens de Versos de um crime têm muita substância, representados no filme do estreante John Krokidas. Tábulas rasas, os futuros escritores Allen Ginsberg, Jack Kerouac e William Burroughs louvam as palavras do verdadeiro (e guru, para uma geração) Ginsberg: ;Meu melhor aprendizado foi ser apenas eu mesmo com eles;. No compêndio de declarações do poeta beat, que dá transparência aos ideais dele em Mente espontânea ; Entrevistas 1958-1996, a visão revisionista e, por vezes até desencantada, prevalece.

Longe disso, no longa-metragem, em cartaz na cidade, o ex-bruxinho Harry Potter encampa o personagem Allen Ginsberg, algo na defensiva, mas sem rancores. É uma fase específica, assumida pelo autor de Uivo, que invade a telona. ;Meus melhores professores foram (entre outros) William Burroughs, Gary Snyder, Gregory Corso e Jack Kerouac. Aprendi ao andar por aí com eles, com a observação da reação deles aos carros descendo a rua, ou a uma matéria de jornal ou a uma imagem de filme. Quando você vê a inteligência de alguém reagindo ao mundo fenomenal, aprende por imitação;, declarou o verdadeiro escritor em entrevista. No dia a dia das lições, estava a sublevação em grupo, que fazia os inquietos estudantes da Universidade de Columbia pipocarem no câmpus.

Preliminares

;Ainda existe muito aprendizado a ser feito na questão (relativa a temas gays);, declarou o ator Radcliffe à revista GQ. O assunto brotou das naturais especulações quanto ao teor de sua exposição, nas cenas mais ousadas da fita. ;Claro que a sexualidade foi muito importante para o Allen Ginsberg e ele a honrou, mas isso não foi o princípio e o fim dele enquanto pessoa;, disse o ator. Aos 24 anos, o amante de futebol americano e da banda Styx acha fascinante ;notar que vivemos em países muito avançados ; o casamento gay já foi legalizado em várias regiões da América e na Inglaterra;.

O aprofundamento dos argumentos ganha relevância pelo teor de polêmica, sempre afeito à imprensa. ;Assassinato? Nem tão controverso. Sexo? Vamos nos fixar nesse tema;;, emendou Dane DeHaan, intérprete da figura mais complexa de Versos de um crime: DeHaan dá vida a Lucien Carr, o rapaz que viria a matar David Kammerer (Michael C. Hall), para alguns, um explorador dos meninos às vias de se tornarem homens. Nessa visão nada romântica, a mãe do Lucien das telas chega a condenar o relacionamento, quando divaga sobre ;o que restou; do filho em apuros com a justiça, sob acusação de assassino.

Para maiores detalhes do crime ocorrido em 1944, o espectador de Versos de um crime terá que recorrer à leitura de E os hipopótamos foram cozidos em seus tanques, publicado há cinco anos no Brasil. A partir dos personagens de um marinheiro e de um barman, e com mais de 60 anos de distância desde o crime, tanto Jack Kerouac (autor do seminal On the road) quanto William Burroughs se aventuraram na prosa que teve como pano de fundo o célebre crime no Rio Hudson, no qual Kammerer ainda estaria vivo quando (ferido) foi, forçosamente, levado ao fundo do rio, pelo alterado Lucien Carr.

Punks de 1950

Vale a pena, quando se fala em Versos de um crime, explicitar a curiosidade dos gostos musicais particulares do ator Dane DeHaan, que curte Metallica, Avett Brothers e o rapper Macklemore. Isso porque, no entendimento do colega Daniel Radcliffe, eles se esforçaram para dispersar o retrato de escritores ;sérios e entediantes; e deram fôlego à divertida visão de que tratavam ;dos punks da época ; sendo a expressão do que era vibrante e excitante;.

Para encarar a jornada, repleta de quebra de regras, o conhecido ator da telessérie In treatment em entrevista no exterior deu pistas da composição, ao citar a lição de se arriscar ;em saltos;, além da predisposição em ;se deixe cair de penhascos;, ao abraçar o projeto do filme de estreia de John Krokidas.

Disciplinados na busca pelo que fosse novo, e na expansão do círculo de relações, logicamente, os personagens ocupam, em momentos, lugar de vítimas, sob o massacre de punições sociais. Mas, visto o filme Versos de um crime, os 18 meses de prisão reservados a Lucien Carr nem parecem tão rigorosos. Especialmente, quando se tem em mente que, numa faixa dos 20 anos, os reais rapazes retratados já tinham contato com excessos que iam das desorientações familiares (Allen Ginsberg, por exemplo, administrava a vida ao lado de uma mãe paranóica) e fantasmas silenciosos à espreita, como é o caso da tentação do suicídio.

Quando você vê a inteligência de alguém reagindo ao mundo fenomenal, aprende por imitação;
Allen Ginsberg, em trecho do livro,Mente espontânea ; Entrevistas 1958-1996

80
Número de salas do circuito norte-americano que exibiram o filme

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação