Advogados esperam revisão

Advogados esperam revisão

postado em 18/06/2014 00:00
Após o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, anunciar o afastamento da relatoria dos processos relativos ao mensalão, advogados de alguns condenados na Ação Penal 470 afirmaram esperar revisões em decisões do ministro. Eles também negaram a crítica de Barbosa, de que eles teriam passado a agir de forma política e não jurídica em relação ao caso. Último a ter um desentendimento público com o ministro Joaquim Barbosa, o advogado Luiz Fernando Pacheco, que representa o ex-deputado José Genoino no mensalão, não quis comentar o afastamento do presidente da Corte da relatoria.

Uma das expectativa dos advogados é de que seja revista a suspensão das autorizações de trabalho fora da prisão concedidas aos condenados, decidida em maio por Barbosa sob o argumento de que eles não haviam alcançado um sexto da pena. ;Entramos com agravo em maio e até hoje não foi decidido. O ministro Barbosa revogou autorização que havia sido concedida ao (ex-deputado) Romeu Queiroz. Foi uma decisão ilegal, conforme precedentes do Superior Tribunal de Justiça (STJ);, reclama Marcelo Leonardo, advogado de Romeu Queiroz e do empresário Marcos Valério.

Nota
Leonardo diz que espera um melhor relacionamento entre STF e setores da sociedade com a saída de Barbosa. ;Todo mundo espera que o Supremo melhore sua relação com a magistratura, a sociedade... Pelas notícias que leio, a relação sempre foi péssima;, disse. Ele pondera, no entanto, que nunca se desentendeu com o ministro. ;Ele deveria ter nomeado as pessoas, porque nunca tive confronto com ele.; O advogado de Jacinto Lamas, Délio Lins Júnior, também espera revisão das decisões. (AM)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação