Traficante monitorado pela PF

Traficante monitorado pela PF

Desde que comprou ingressos para a partida México e Brasil, realizada ontem em Fortaleza, o suspeito mexicano preso no Galeão era rastreado. A entrada de 15 estrangeiros no Brasil já foi impedida, entre eles, nove argentinos barra-bravas

DANIELA GARCIA
postado em 18/06/2014 00:00
 (foto: José Cruz/Agência Brasil)
(foto: José Cruz/Agência Brasil)

O narcotraficante mexicano procurado pela Interpol, José Diaz-Bajaras, 49 anos, preso no Rio de Janeiro, era monitorado pela Polícia Federal desde que comprou ingressos para assistir à partida entre México e Brasil, no Estádio do Castelão em Fortaleza. A PF informou, ontem, que teve problemas, no total, com 14 estrangeiros que tentaram entrar no país desde o início da Copa do Mundo. Com exceção do mexicano, todos já foram deportados.

Diaz-Bajaras é acusado de ser traficante de metanfetaminas na cidade de Guadalajara, no México, e de exportar os entorpecentes para os Estados Unidos (EUA). Ele permanecerá detido no Brasil enquanto durar a análise de um eventual pedido de extradição para os EUA, informou. O estrangeiro está no Presídio Ary Franco, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

O coordenador-geral de Cooperação Internacional da PF, Luiz Cravo Dorea, explicou ontem que a polícia já esperava a vinda de Diaz-Bajaras ao país ao verificar os nomes dos torcedores fornecidos pela Fifa. ;Ele comprou ingressos para ele, a mulher e dois filhos menores de idade;, disse. Segundo a PF, a família entrou no país, em 11 de junho, por via terrestre a partir do Paraguai pela Ponte da Amizade, que liga Ciudade del Este a Foz do Iguaçu (PR). ;Ele entrou a pé pela guarda. Desde aquele momento, ele passou a ser monitorado;, detalhou Dorea.

No mesmo dia, a PF pediu sua prisão preventiva para fins de extradição ao Supremo Tribunal Federal (STF), que foi autorizada pelo ministro Marco Aurélio Mello em 14 de junho. A PF, que possuía cópias dos ingressos do traficante para o jogo, acionou uma equipe no Rio de Janeiro e outra em Fortaleza para realizar a detenção. Diaz-Bajaras foi apreendido, na noite de segunda-feira, no Aeroporto do Galeão. Na ocasião, o suspeito não portava drogas e afirmou ter vindo ao Brasil apenas para ver o jogo. Segundo a PF, ele não parece ter negócios ilícitos no país.

Barrados
A Polícia Federal fez ontem um balanço das atividades do Centro de Cooperação Policial Internacional e revelou que 14 estrangeiros já foram proibidos de ingressar no país desde o início da Copa. Entre os barrados, estão nove argentinos barra-bravas, torcedores com histórico de violência em estádios. Também foram impedidos um americano condenado por abuso sexual, além de cinco homens ; um americano, dois nigerianos, dois angolanos ; todos com problemas relacionados à documentação.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação