Estrangeiros fazem a festa

Estrangeiros fazem a festa

postado em 18/06/2014 00:00
Se o dia não foi de espetáculo do Brasil, acabou sendo de festa para os estrangeiros que visitam Brasília. Na orla do Setor de Hotéis e Turismo Norte, o empate diante do México veio com clima de alegria. O holandês Thomas Waterreus, 28 anos, se divertiu na Santa Copa. Para ele, a melhor coisa da capital são os espaços na beira do Lago Paranoá. Enrolado na bandeira do Brasil, o cantor de hip-hop quer ver a Holanda na final contra a Seleção Brasileira. ;É triste dizer, e que os holandeses não me ouçam, mas acho que, se chegarmos à final, o Brasil ganha;, acredita.

Nação amiga, Angola mandou reforço para engrossar a torcida brasileira. Um grupo de cidadãos daquele país passeavam pela festa com camisas oficiais da Seleção. Tinham os nomes próprios gravados no uniforme. Explicaram que é um jeito de se sentir parte do time. Emanuel Gaspar, 46 anos, técnico de logística, ficou tenso durante o jogo, esperando, a cada chute, um gol do Brasil. O irmão dele, Rossano Gaspar, 33, prestava mais atenção nas beldades do que nos apitos. ;As mulheres no Brasil são muito bonitas e, aqui nesta festa, elas estão particularmente arrumadas e lindas;, disse o bancário, rindo.

A argentina Paula Macharoshuili, 28 anos, assistiu ao jogo com amigos brasileiros num café do Lago Sul. A gerente mora no Rio de Janeiro e veio a Brasília para visitar uma amiga, mas perdeu o voo de volta e resolveu ficar por aqui para ver a partida. Ela torce para o Brasil chegar à final, mas com com segundas. ;Quero ver a Argentina vencendo o Brasil na decisão;, admitiu.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação