Eixo capital

Eixo capital

Ana maria campos/anacampos.df@dabr.com.br helena mader / helenamader.df@dabr.com.br
postado em 18/06/2014 00:00

Em busca do título


A partida entre Brasil e Camarões no Estádio Nacional Mané Garrincha, na próxima segunda-feira, será um teste não apenas para o técnico Luiz Felipe Scolari. O atual dono da bola em Brasíla, o governador Agnelo Queiroz (PT), também aposta que o último jogo da seleção na primeira fase será um momento histórico para a capital. No Twitter, o petista postou, logo depois do zero a zero de ontem, um incentivo à torcida: "Vamos brasilienses. Aqui o povo é pé quente". Uma derrota brasileira na arena candanga seria um mico sem precedentes e indiretamente um desgaste para Agnelo. Não faltam atacantes focados em roubar a bola -- tanto no gramado, quanto fora dele. Mas, no campo político, ainda faltam decisões importantes para a escalação das equipes adversárias. Assim como na Copa do Mundo, os próximos dias serão decisivos para a definição do concorrente que subirá ao pódio. Nesse caso, ao Palácio do Buriti.


Aposta do PSol

Randolfe Rodrigues desistiu de disputar a presidência pelo PSol e frustrou Antônio Carlos de Andrade, o Toninho do PSol, candidato ao Palácio do Buriti e um dos principais apoiadores da candidatura do senador. Mas a reviravolta no cenário não abateu o concorrente ao governo. O PSol realiza neste sábado a convenção regional que confirmará o nome de Toninho na corrida eleitoral. Luciana Genro, a nova candidata à presidência, participará do encontro no DF. "Estamos muito otimistas com o desempenho que Luciana terá em Brasília. Ela é guerreira, mulher, tem grande potencial para repetir o desempenho de Marina Silva de 2010", aposta Toninho.


Tá liberado

Principal nome do PV em Brasília, o ex-secretário de Meio Ambiente Eduardo Brandão conseguiu aval do diretório nacional para disputar o cargo de deputado federal. A orientação da executiva nacional era para que o partido tivesse candidatos a cargos majoritários em todas as unidades da federação e, assim, Brandão disputaria o Senado. Mesmo sendo um fiel integrante da base governista, ele teria que fazer oposição ao candidato do governo. No próximo sábado, o PV fará convenção para ratificar esse entendimento. A meta da legenda é dobrar o número de deputados federais eleitos em 2010, quando 14 parlamentares conquistaram mandato.


Arma em punho

A Câmara Legislativa vai contratar uma empresa para capacitar os agentes da Polícia Legislativa a manusear armas de fogo. A exigência é que a instituição seja registrada no Comando do Exército. O preço estimado do contrato para capacitar 45 funcionários é de R$ 22.050.


Será que vai dar?

Os deputados distritais já entregaram suas emendas à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e a expectativa é que as propostas dos parlamentares sejam votadas esta semana na Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (Ceof) e, na semana que vem, no plenário. Isso se houver quórum para deliberar sobre as propostas;


O risco da confiança

Pelas pesquisas que circulam no meio político, os deputados distritais Chico Leite (PT) e Liliane Roriz (PRTB) são os mais cotados para liderar o ranking dos mais bem votados na Câmara Legislativa. A perspectiva poderia ser motivo de otimismo para os parlamentares, mas tem virado razão para preocupações. O receio é que concorrentes peçam votos a eleitores dos deputados com a justificativa de que eles não precisam de mais um voto, já que teriam eleitores de sobra. E, como não existe jogo ganho antes de a bola rolar, o excesso de confiança pode ser fatal.


Pressa

O excesso de movimentação no Aeroporto de Brasília alterou os planos de Eduardo Campos e de Marina Silva no último domingo. O presidenciável do PSB e a sua candidata à vice iriam à Feira do Guará de metrô, para depois participar da convenção do partido. Mas o voo de carreira previsto para as 12h30 teve que ser antecipado para as 11h30, já que os aviões comerciais têm prioridade. Resultado: a dupla teve que fazer uma aparição relâmpago na convenção e foi embora correndo para voar até o Recife.


Gastos pré-eleição

No balanço das despesas com verba indenizatória de janeiro a abril deste ano, o deputado Paulo Roriz foi o que mais gastou. O parlamentar do PP assumiu o mandato em novembro. Só este ano, ele gastou R$ 79,9 mil. Em segundo lugar aparece Cristiano Araújo (PTB), com R$ 78 mil, e, na sequência, Robério Negreiros, que usou R$ 75,6 mil. Os principais gastos estão nas rubricas combustíveis e divulgação de atividade parlamentar. Nada mais adequado para ano eleitoral.


A pergunta que não quer calar;.

O Estádio Mané Garrincha vai dar sorte para a seleção canarinho?


Siga o dinheiro

R$ 655.864,09

Licitação para a compra de 103.606 medalhas para premiação e 5.761 troféus com a logomarca do GDF


Sem propaganda

A minirreforma eleitoral, aprovada pelo Congresso Nacional no ano passado, é motivo de dúvidas para o Ministério Público Eleitoral. A legislação veda os carros envelopados com propaganda, mas os procuradores ainda não sabem como classificar as vans caracterizadas como gabinetes itinerantes. Pela minirreforma, só são permitidos adesivos de 50cm X 40cm nos vidros traseiros.


Silêncio, por favor

Outra novidade que será usada pela primeira vez nestas eleições é o mini trio. Os carros de som continuam liberados e os trios elétricos ainda são vetados. A grande preocupação das autoridades é com a poluição sonora;



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação