A arte de ser torcedor

A arte de ser torcedor

Fãs de futebol, encantados com o Mundial no Brasil, nem ligaram para o resultado entre Brasil e México. O que valeu foi a festa. As imagens mostram a alegria de quem foi para as ruas de Brasília a fim de vibrar pela Seleção

» KELLY ALMEIDA » AILIM CABRAL
postado em 18/06/2014 00:00
 (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

O empate entre Brasil e México não tirou a alegria e a criatividade dos torcedores em Brasília. No Taguaparque, teve pintura de rosto feita por estudantes de engenharia da Universidade de Brasília (UnB); famílias reunidas e até a presença de uma ;estrela;. Para começar, um grupo de estudantes recebeu uma missão do professor de técnicas de engenharia da UnB: multiplicar R$ 10. Eles compraram pincel e tintas e saíram na festa de transmissão dos jogos oferecendo pintura de rosto por R$ 1.

Perto deles, Hulk, jogador da Seleção Brasileira, deu as caras. Na verdade, era um sósia dele, mas enganou muita gente. As brasilienses queriam conferir se o morador do Park Way Fellipe Florêncio, 24 anos, tinha os mesmos atributos do atacante da Seleção. Quesito mais observado: bumbum. ;Um grupo de gringos chegou a me confundir com ele no Rio de Janeiro. Tirei foto e depois contei a verdade;, diz o jogador de futebol americano.

E o que era para ser só trabalho se transformou em presente para Bruno Sartorio. Ele pensou que assistiria ao jogo sozinho em Taguatinga, mas foi surpreendido pela esposa, Stella Sartorio, 27 anos. Ela levou a filha de 6 meses para ver a partida em família. ;É a primeira Copa dela, seria muito ruim não estar com a família reunida;, afirma a gerente.




























Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação