A hora do espanto

A hora do espanto

Fred coloca em cartaz um filme de terror que a Seleção não via há 32 anos. A última vez que um centroavante do Brasil não fez gol nos dois primeiros jogos da Copa do Mundo foi em 1982. Atacante do Fluminense espera romper o jejum em Brasília diante de Camarões

Marcos Paulo Lima Enviado especial
postado em 19/06/2014 00:00
 (foto: Odd Anderson/AFP)
(foto: Odd Anderson/AFP)

Rio de Janeiro ; Na Copa em que nomes como van Persie, Benzema e Balotelli contribuem para a elevada média de gols, a fábrica brasileira de centroavantes mostra ao mundo que parou no tempo. Carente de um homem de referência, a terra de Careca, Romário e Ronaldo torce o nariz para Fred e faz piadas com Jô nas redes sociais. O jejum do camisa 9 escolhido por Luiz Felipe Scolari emperrou. Pela primeira vez desde a edição de 1982, o chamado ;matador; da esquadra verde-amarela nega fogo nas duas primeiras rodadas. Há 32 anos, Serginho Chulapa, referência do ataque do timaço de Telê Santana, iniciava o torneio em dívida com o time.


Na terceira Copa como técnico, Scolari gerencia a crise de um centroavante pela primeira vez. Em 2002, Ronaldo, artilheiro do torneio com oito gols, tinha dois nas duas rodadas iniciais. Em 2006, o ataque de Portugal era carente de um matador, mas Pauleta foi o autor do gol da vitória na estreia contra o Irã.


No dia da convocação da Seleção para a Copa, Fred ousou. ;Quero fazer um gol por jogo;, disse, em entrevista coletiva nas Laranjeiras. No primeiro contato com a imprensa, em Teresópolis (RJ), pipocou: ;Não vou traçar metas. Na Copa das Confederações, prometi fazer um a cada partida, passei dois sem fazer, e vocês queriam me matar;.
Pressionado depois do tropeço contra o México, Fred saiu da defensiva e prometeu desencantar segunda-feira no Mané Garrincha. ;Não deu contra o México, mas eu tenho certeza de que, contra Camarões, vai sair;, disse o camisa 9 na saída do Castelão.


Depois da vitória diante da Croácia, Fred aproveitou o exame antidoping para não falar sobre o pênalti cavado e o mau desempenho. Após o duelo contra o México, preferiu falar sobre a evolução coletiva do time: ;Estamos em busca do crescimento, de melhorar a equipe inteira. Estou fazendo de tudo para marcar gol;.
Na Copa das Confederações, Fred desencantou na terceira partida. O centroavante anotou dois e deu início a uma série de gols decisivos. Nas semifinais, foi um dos responsáveis por despachar o Uruguai, no Mineirão. Na finalíssima com a Espanha, foi autor de dois dos três gols.

Defensores
A crise de Fred começa a mobilizar discursos prós e contra a permanência do jogador no time. No Rio, Zico o protegeu. ;Fred é um jogador que precisa ter jogadas pelos flancos para que finalize. Os mexicanos não estavam deixando ele dominar a bola, antecipavam sempre. Isso dificultou bastante. Ele não estava conseguindo se movimentar e fazer aquela parede para quem vinha de trás;, analisou o Galinho.


Vítima do mesmo jejum em 1982, Serginho Chulapa desencantou na terceira partida ao marcar o último dos quatro gols na vitória diante da Nova Zelândia. Com a experiência de quem sofreu a mesma pressão, ele pede calma. ;O Fred viveu um grande momento na Copa das Confederações. Hoje, é o nosso melhor. Ele ainda vai ser um dos melhores da Copa, quem sabe até o artilheiro;, aposta Serginho, autor de dois gols em cinco jogos na Espanha.

Estatísticas & curiosidades

Fred em 2014
5/3 - África do Sul 0 x 5 Brasil (nenhum gol)
3/6 - Brasil 3 x 0 Panamá (nenhum gol)
6/6 - Brasil 1 x 0 Sérvia (1 gol)
12/6 - Brasil 3 x 1 Croácia (nenhum gol)
17/6 - Brasil 0 x 0 México

Memória

O único gol de Fred no DF
O camisa 9 fez apenas um gol em Brasília. Em 26 de julho de 2003, o América-MG empatou por 1 x 1 com o Gama pela Série B do Brasileirão. Fred foi o autor do gol do Coelho no Bezerrão. Pela Seleção, ele jogou na abertura da Copa das Confederações de 2013 no remodelado Mané Garrincha, mas passou em branco.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação