Contra a corrupção

Contra a corrupção

postado em 19/06/2014 00:00




Francisco foi o primeiro show solo que Chico fez na cidade. Em 15 de abril de 1988. O repertório trazia músicas do LP homônimo, lançado meses antes, entre elas, Ludo real e Estação derradeira. Mas não faltaram as consagradas Gota d;água, Não existe pecado ao sul do Equador, O que será, Partido alto e Sem compromisso. Sob grande expectativa, muitos fãs foram assisti-lo, mas dessa vez não ouviram do ídolo nenhum discurso de cunho político.

Antes da apresentação, porém, em entrevista ao Correio, fez uma dura declaração contra a corrupção: ;Eu e o Brasil inteiro esperamos há muito tempo que a corrupção seja punida exemplarmente. Mais grave do que a corrupção é a impunidade dos corruptos. Isso é uma questão moral gravíssima. O governo vai se afundando toda vez que é conivente com os corruptos;.

Com Paratodos, Chico veio novamente a Brasília, em 27 de outubro de 1994. No show, na Sala Villa-Lobos, cantou clássicos como as românticas Eu te amo, Futuros amantes, Samba e amor; e as politizadas Pivete, Brejo da cruz e Tanto mar, canção em que saudava a Revolução dos cravos, que destituiu o ditador Antônio de Oliveira Salazar do governo de Portugal.

Quando fez o espetáculo As cidades, em 2 de setembro de 1999, na Sala Villa-Lobos, Chico teve que conviver com o protesto dos estudantes, impedidos de assisti-lo por causa do preço altíssimo do ingresso. Eram fãs que não puderam ouvi-lo soltar a voz pequena em A volta do malandro, Chão de esmeraldas, Cotidiano e Quem te viu quem te vê.

Em maio de 2007, o cantor e compositor passou pela última vez por Brasília. Nos dias 15 e 16, apresentou o show Carioca no Auditório Master do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em noites de superlotação. Na estreia, políticos ocupavam as primeiras fileiras da plateia, entre eles, um fã ilustre, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acompanhado pela primeira-dama, Marisa Letícia. Ao fim, no camarim, o tricolor Chico presenteou o corintiano Lula com uma camisa do Fluminense. O uniforme era o mesmo com a qual cantor havia posado para foto, a pedido do Correio.

Chico foi um dos raros shows do cantor e compositor Chico Buarque de Holanda que o brasiliense não assistiu. Em 2012, havia a possibilidade de o cantor e compositor, que completa 70 anos amanhã, fechar a turnê do espetáculo na capital federal, mas isso acabou não ocorrendo, frustrando os fãs. Não faltou quem atribuísse o fato à demissão da irmã, Ana de Holanda, do cargo de ministra da Cultura, embora a assessoria do artista tenha desmentido a versão.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação