Avaliação técnica

Avaliação técnica

postado em 19/06/2014 00:00

ALTURA DO SOLO
Não ocorreram interferências com o solo, inclusive com carga máxima, favorecido pelo aumento de 15mm de altura das suspensões/pneus em relação ao solo.

CLIMATIZAÇÃO
O nível de ruídos de funcionamento é razoável e os comandos, fáceis de manusear. O sistema funciona por comando manual e está bem vedado. No painel, há quatro difusores de ar, que têm formato circular e giram 360;, com vazão satisfatória nas quatro velocidades.

FREIOS
Apresentaram bom comportamento dinâmico no uso misto. O pedal de freio tem boa sensibilidade e o ABS, boa calibração. O freio de estacionamento atuou normalmente. A desaceleração foi normal e sem desvios de trajetória. A resistência térmica foi boa.

NÍVEL INTERNO DE RUÍDOS

Os ruídos no habitáculo são vários e surgem ao se trafegar sobre piso de paralelepípedo, terra e asfalto mal conservado. O efeito aerodinâmico é evidente e incomoda a partir de 100km/h.

MOTOR
Apresentou bom funcionamento. A rotação de potência máxima (6.250rpm) quase nunca é utilizada numa condução normal e, com isso, o motor com é prejudicado na sua performance. O sistema flex atuou normalmente.

CÂMBIO
O curso da alavanca é longo e a qualidade dos engates é razoável. As relações de marcha/diferencial estão bem definidas. Mas as trocas são constantes quando se faz uso do ar-condicionado e piora quando o veículo está com carga útil máxima numa topografia irregular. A causa principal é o fato de o torque máximo do motor estar em uma rotação alta (4.500rpm), apesar de ter arquitetura do cabeçote com duas válvulas por cilindro.

SUSPENSÃO

A nova configuração das suspensões não proporcionou um ganho no conforto de marcha, que não tem um bom acerto devido ao nível das transferências das imperfeições do solo para dentro, piorando quando está carregado. A estabilidade na reta é razoável, mas numa manobra usual de forte desvio com retorno imediato à faixa original, com o veículo em velocidade elevada, ocorre uma forte inclinação da carroceria, com reação inicial no eixo dianteiro, passando ao traseiro. A estabilidade em curvas de alta é boa, passando a razoável nas de baixa e média feitas no limite da aderência lateral.

DIREÇÃO
As cargas do sistema assistido são satisfatórias no uso urbano e em baixas velocidades. Mas poderia ser mais pesada em velocidades mais altas para minimizar o comportamento das suspensões. Com o veículo carregado, deve-se ter atenção, devido à rapidez de resposta, leveza e alta sensibilidade, além da consequente inclinação da carroceria à menor alteração de direção. A precisão na reta é boa, assim como em curvas. O diâmetro de giro e a velocidade do efeito retorno são bons. Ao contrário do que esta versão sugere, os pneus não são de uso misto.

ILUMINAÇÃO

Os faróis têm duplo refletor e apresentaram boa eficiência no baixo/alto. Quando o veículo está carregado, é fácil a alteração da altura do facho, por meio de uma chaveta, instalada atrás do corpo dos faróis. Existe a opção de faróis auxiliares de neblina. O quadro de instrumentos tem fácil visualização de dia ou de noite. Não há luz de cortesia. No teto, há uma lanterna de formato retangular, com resultado discreto em iluminação para o habitáculo.

LIMPADOR DE PARA-BRISA
São seis esguichos no para-brisa que, quando acionados, ativam automaticamente o sistema de limpeza. As palhetas varrem uma área satisfatória. O reservatório de água está instalado dentro da ossatura do painel de fogo, onde não é possível ver o nível, além do bocal do gargalo estar numa posição ruim e ter o diâmetro pequeno. Solução pouco prática. No vidro traseiro, o sistema é eficiente.

ALARME
A chave de ignição é codificada e pode ter (opcionalmente) proteção perimétrica das partes móveis e volumétrica dentro do habitáculo. Ao dar comando para travar as portas por controle remoto inserido na chave de ignição, os vidros dianteiros sobem automaticamente. O sistema antiesmagamento atuou com precisão. As teclas para travar/destravar as portas estão montadas na chave com os símbolos invertidos no sentido usual de sua utilização.

ESTEPE/MACACO
A operação de troca é normal. O estepe está no fundo do assoalho do porta-malas. O kit de troca está instalado em base plástica, abaixo do aro. A roda é de aço e o pneu, igual aos de uso.

VOLUME DO PORTA-MALAS
O declarado pela fábrica é de 290 litros, e o encontrado foi de 235 litros, com o banco traseiro na posição normal e com a tampa do bagagito fechada.

(*) Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação