Nos drinques

Nos drinques

postado em 26/06/2014 00:00
É com diversidade que os destilados protagonizam o universo dos drinques. O menos aproveitado nesse quesito é o uísque, devido ao gosto mais marcante. Mas o rum, por exemplo, pode ser explorado de inúmeras maneiras. ;A vantagem é que existem o rum branco e o envelhecido, que trazem características diferentes para cada drinque;, complementa Avener Vieira, barman do Paradiso Cine Bar. O primeiro vai no mojito, composto por hortelã, suco de limão tahiti e água gaseificada ou soda. ;Com o envelhecido, fazemos muito o daiquiri, que leva também clara de ovo, açúcar e limão.;

A técnica utilizada para preparar o daiquiri pode ser aplicada ao uísque e ao pisco, criando a bebida pela qual os destilados chileno e peruano ficaram conhecidos ao redor do mundo: o pisco sour. Segundo o barman, porém, a maneira mais tradicional de tomar o uísque é com gelo e casca de laranja. ;Mas também fazemos drinques, como o god-father, composto por elo e licor italiano amaretto, combinação que suaviza um pouco o sabor do destilado.; A grappa não é uma bebida muito difundida no Brasil. Por conta disso, Vieira explica que não conhece drinques que explorem as propriedades do destilado italiano. (FF)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação