Grita geral

Grita geral

postado em 26/06/2014 00:00



CODHAB
LOTE IRREGULAR

O leitor Manoel Leonardo Santos é morador da Estrutural há mais de 10 anos, e fez todos os recadastramentos solicitados pela Codhab (Companhia de Desenvolvimento Habitacional) para regularização de sua moradia. O nome de Manoel saiu no Diário Oficial do DF, mas, até o momento, não conseguiu escriturar o lote onde mora. Ele conta que, pelo menos, três vizinhos já foram regularizados. Manoel procurou a Administração da Estrutural e a sede no Plano Piloto, mas afirma que ;ninguém resolve nada;. De acordo com o leitor, houve um novo endereçamento para resolver antigos problemas, mas na Quadra 3, onde mora, os responsáveis não perceberam que entre os lotes 14 e 16 existiam dois terrenos, medindo cerca de 8 metros de frente, cada um. Manoel também procurou o engenheiro da Administração da Estrutural, mas ele não sabe dizer o porquê de o lote ter ficado de fora. ;Gostaria de uma solução, pois eu preciso reformar a casa, não tenho condições financeiras para isso, mas com a escritura em mãos, posso solicitar empréstimo em bancos para a reforma;, diz.

; Por meio da assessoria de comunicação, a Codhab informou que tem conhecimento
sobre o caso, porém, ara regularizar a situação é necessário realizar a revisão
do projeto urbanístico da Estrutural. O trabalho ainda não tem previsão para início.



INSS
SEM PERÍCIA MÉDICA

A professora Débora do Nascimento Teofilo está afastada do trabalho por causa de um tratamento psiquiátrico. A leitora aguarda a perícia médica, marcada pelo INSS, desde abril. De acordo com Débora, a perícia já foi remarcada duas vezes, devido ao sistema que estava fora do ar. O marido da professora está desemprego no momento, e eles não possuem outra fonte de renda, por isso, o casal está com diversas contas atradas, sem condições de pagar por medicamentos, e sem conseguir vaga para psicologia ou psiquiatria no Posto de Saúde do Guará 1. Ela teve que pagar uma consulta particular, mas não pode dar continuidade ao tratamento devido aos problemas financeiros. Débora aguarda a perícia para que possa receber os benefícios que tem direito, por causa dos problemas de saúde. Ela esteve na Defensoria Pública da União, mas, até o momento, não recebeu nenhum retorno. ;Não sei mais o que fazer;, reclama a professora.

; A assessoria de comunicação do INSS informou que a perícia médica
da segurada Débora do Nascimento Teófilo está marcada para 17 de julho.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação