Nas mãos da Fifa

Nas mãos da Fifa

Entidade anuncia hoje decisão sobre o caso Suárez, pela mordida no italiano Chiellini. O atacante corre o risco de ficar fora do restante do Mundial. Federação Uruguaia alega que houve somente um choque

postado em 26/06/2014 00:00
 (foto: Yasuyoshi Chib e Daniel Garcia/AFP
)
(foto: Yasuyoshi Chib e Daniel Garcia/AFP )


A Fifa anuncia hoje a decisão sobre o caso do uruguaio Luis Suárez, que mordeu o italiano Chiellini na partida vencida pela Celeste por 1 x 0 em Natal, na terça-feira. A reunião do Comitê Disciplinar da entidade foi realizada ontem à noite, em Copacabana.

Suárez, como reincidente, corre o risco de receber uma punição rigorosa, que poderia deixá-lo de fora do restante da Copa do Mundo. No sábado, o Uruguai enfrenta a Colômbia pelas oitavas de final.

O lance inusitado ocorreu aos 35 minutos do segundo tempo da partida em que o Uruguai venceu a Itália por 1 x 0. O atacante da Celeste mordeu o ombro do italiano Giorgio Chiellini. O árbitro não viu a agressão, mas a Fifa lembrou em comunicado que a comissão disciplinar tem a prerrogativa de punir atos não observados pelo juiz. A eventual punição seria aplicada em partidas da seleção.

O presidente da Federação Uruguaia de Futebol, Wilmar Valdez, trabalhou durante a madrugada de ontem no documento de defesa. Na tese, entregue à entidade máxima do futebol, alegou que não houve agressão. ;Não houve nenhuma mordida. Foi uma jogada casual, em que o jogador (Suárez) perde o equilíbrio e, então, se produz o choque. Pode ter sido um golpe na nuca, no pescoço, nas costas. E é isso que se vê, um choque, e nada mais;, explicou Ernesto Dehl, que ajudou a escrever a tese de defesa, em entrevista ao jornal Ovación. De acordo com o jornal, a tese da federação se baseia em vídeos, imagens e um texto com argumentos jurídicos.

O presidente do Uruguai, José Mujica, saiu em defesa de Suárez. ;Não o vi morder ninguém, mas eles trocam socos e chutes e aguentam isso;, disse Mujica à imprensa, ao destacar que o atacante ;é um excelente jogador;. ;No futebol, me ensinaram, o que vale é o que manda o juiz. Se vamos tomar as decisões no futebol pelo que sai na televisão, teremos um montão de pênaltis e outras coisas que deveriam marcar e não marcam;, argumentou. Mujica destacou que Suárez não foi selecionado ;para ser filósofo, mecânico ou para ter bons modos;.

Memória
;Canibal;

Suárez é reincidente nas mordidas. Em 2010, quando jogava no Ajax, foi suspenso por sete partidas pela liga holandesa por ter abocanhado um jogador do PSV Eindhoven, Otman Bakkal. Na época, o uruguaio recebeu o apelido ;o canibal do Ajax;. Em abril de 2013, acabou punido pela Federação Inglesa por 10 partidas depois de, como jogador do Liverpool, ter mordido o braço do sérvio Branislav Ivanovic, do Chelsea.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação