Vem aí outro aumento

Vem aí outro aumento

Para tentar animar investidores, presidente da Petrobras prevê reajuste nas refinarias e diz ter o controle da política de preços

» VERA BATISTA Enviada especial
postado em 02/07/2014 00:00
 (foto: Agência Petrobras)
(foto: Agência Petrobras)


Rio de Janeiro
; A presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, garantiu ontem que vai reajustar os preços dos combustíveis, sem especificar quando. Questionada sobre os impactos negativos da ingerência do maior acionista, o governo, sobre o caixa, ela afirmou que o controle da política de preços é da própria empresa. ;Não tenho a menor insegurança com relação à condução da companhia, de que ela está na mão de técnicos;, garantiu a executiva, durante o evento ontem, no Rio de Janeiro, para comemorar a produção recorde da companhia na área do pré-sal, acima de 500 mil barris diários.

Graça Foster, como é conhecida, tentou mostrar distinção entre expectativas de mercado, que ;paga para ver;, e a sua função como gestora. ;O que tenho que fazer é entregar o que a empresa promete, mostrar que mantemos uma gestão técnica, dizer que vamos crescer e que vamos ter correção, sim, nos preços de combustíveis. Esse é o ponto;, resumiu.

Para ela, a diretoria executiva não ;tem que buscar explicação;, nem mesmo sobre a forte desvalorização das ações da Petrobras. ;Se tudo acontecer do jeito que estou dizendo, tenho certeza de que as ações vão voltar a subir;, ressaltou. Na sua avaliação, não há prazo para que os investidores retomem a confiança na companhia, mas sublinhou que está sendo cobrada por melhores resultados.

;O Conselho de Administração nos deu 24 meses. Seis já se passaram, ainda temos 18. Esse é o tempo que precisamos;, observou. As declarações da presidente da Petrobras ocorreram num ambiente de festa, no qual se comemorava a marca histórica de produção nos campos do pré-sal, com a presença da presidente Dilma Rousseff e dos ministros Edison Lobão (Minas e Energia), Paulo Sérgio Passos (Transportes) e Gilberto Occhi (Cidades). O recorde no pré-sal foi registrado em 24 de junho último ; 520 mil barris por dia (bpd). Desse total, 406 mil (78%) correspondem à parcela da petroleira estatal. E o restante, às empresas parceiras. O pré-sal respondeu por 22% da produção de maio.

Função social
Durante o discurso, com forte tom político, Dilma associou o ;sucesso; da Copa do Mundo ao desempenho da estatal. Ela criticou os pessimistas, que, além de traçarem um cenário desastroso no Mundial, não acreditavam no atual modelo brasileiro de exploração de petróleo. ;Ainda que alguns especialistas do mercado financeiro queiram apostar apenas em resultados no curto prazo, mesmo assim, o sucesso da Petrobras é inegável;, destacou. ;Não é uma ou outra tendência momentânea que vai abalar a companhia;, completou.

Para ela, a função da empresa é gerar ;benefícios cada vez maiores para o seu grande acionista, o povo brasileiro;. Nesse sentido, o modelo de partilha, segundo Dilma, era o mais apropriado para dar retorno à sociedade brasileira. ;Vamos destinar R$ 1,3 trilhão para a educação e para a saúde, nos próximos 35 anos;, prometeu. A presidente lembrou o escritor Nelson Rodrigues, que sempre dizia que a Seleção Brasileira era a pátria de chuteiras. ;A Petrobras é a pátria de mãos sujas de óleo;, comparou.

A repórter viajou a convite a Petrobras

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação