Ataque súbito

Ataque súbito

postado em 02/07/2014 00:00
 (foto: Yasuyoshi Chiba/AFP - 24/6/14)
(foto: Yasuyoshi Chiba/AFP - 24/6/14)


Morder o adversário, como fez Suárez em Chiellini no duelo entre Uruguai e Itália, é uma atitude inconcebível. O caso de violência súbita e inexplicável, no entanto, não foi inédita no torneio. Em 2006, o francês Zidane deu uma cabeçada no italiano Materazzi na final do Mundial.

;Deve haver um treino para diminuir essa ansiedade. Se o jogador não estiver frio, pode fazer uma besteira assim;, avalia o psicólogo Luís Orione.

Normalmente, a pressão diante de uma decisão é o que leva jogadores a atitudes extremas. ;Eles não têm nenhum controle sobre isso nem pensam;, destaca Maurício Marques.

;Eles não têm nenhum controle sobre isso nem pensam;
Maurício Marques, psicólogo

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação