A "ficha" de Felipão ainda não caiu

A "ficha" de Felipão ainda não caiu

Brasil e Holanda jogam hoje, em Brasília, para chegar à "glória" já obtida por Chile, Croácia e Estados Unidos. Felipão cita "sonho menor" para tentar conquistar o terceiro lugar da Copa - oito anos depois de desconsiderar a disputa enquanto comandava Portugal.

Braitner Moreira
postado em 12/07/2014 00:00
 (foto: Fotos: Vanderlei Almeida/AFP

)
(foto: Fotos: Vanderlei Almeida/AFP )

Brasília recebe, na tarde de hoje, o primeiro amistoso da Seleção Brasileira antes do próximo compromisso oficial ; o início da Copa América de 2015, em junho. Por acaso, a partida preparatória contra a Holanda ocorre num momento em que há quem jure que o confronto valha alguma coisa para o time pentacampeão do mundo. Para o técnico Luiz Felipe Scolari, por exemplo, a disputa pelo terceiro lugar na Copa jogada em casa é um ;sonho menor;, mas, ainda assim, um ;sonho;.

Depois do vexame diante da Alemanha na semifinal, com o 7 x 1 inédito em 100 anos da Seleção, a declaração soa inverossímil. Principalmente quando é dita por alguém que, na Copa do Mundo de 2006, tratou a disputa pelo terceiro lugar com muito menos apego. ;Se você está do nosso lado da cerca, esse jogo representa sofrimento, e não um jogo que você está feliz em disputar;, disse Felipão, enquanto comandante de Portugal, depois de perder para a França na semifinal. O tempo parece ter mudado a impressão do treinador, que tenta valorizar o confronto de hoje.

Chefe de uma comissão técnica parada no tempo, Scolari e seus pares insistem em tratar o colapso do Mineirão como ;uma pane de seis minutos;, ;uma fatalidade;. Algo incapaz de manchar ;o ótimo trabalho; de uma seleção que não conseguiu demonstrar alternativas táticas nem técnicas no decorrer dos seis jogos da Copa do Mundo. Resultado? Antes de ser subjugado na semifinal, o time precisou do apito para superar a Croácia, só empatou com o México e levou sufoco do Chile e da Colômbia.

O resultado de hoje não vai mudar a trajetória do Brasil nesta Copa do Mundo. Enquanto houver futebol, a goleada por 7 x 1 ficará marcada a ferro nos integrantes desta Seleção. A partida final, um dia antes da decisão tão prometida pela comissão técnica, tem apenas o papel protocolar de definir se o anfitrião deixa o torneio na terceira ou na quarta colocação ; em bom português, se será a Croácia, capaz de bater a Holanda em 1998 nessa mesma disputa, ou a Coreia do Sul, que terminou em quarto lugar quando sediou o Mundial, em 2002.

Indefinições

Felipão disse que pretende fazer duas alterações em relação ao time escalado no massacre de terça-feira. Segundo o treinador, uma delas será feita porque o time precisa se reforçar ;em um setor que pode ser importante;. Entrará um atleta que teve comportamento adequado no decorrer do Mundial, segundo Scolari. Willian e Jô, que treinaram como titulares na manhã de ontem, são os favoritos a começar jogando.

Na Holanda, o técnico Louis van Gaal preferiu não fazer qualquer indicação do time titular. Certo é que o volante Nigel De Jong está fora do jogo para se recuperar melhor de uma ruptura muscular na virilha. Depois de dizer que a partida não valeria nada, o treinador revisou os próprios conceitos. ;Quero sair da Copa sem perder nenhum jogo;, discursou ontem, em entrevista coletiva no Mané Garrincha. O atacante Robin van Persie é a principal dúvida.

Quem já chegou até aqui

1930 Estados Unidos Terceiro lugar
1954 Áustria Terceiro lugar
1962 Chile Terceiro lugar
1966 União Soviética Quarto lugar
1974 Polônia Terceiro lugar
1982 Polônia Terceiro lugar
1986 Bélgica Quarto lugar
1994 Bulgária Quarto lugar
1998 Croácia Terceiro lugar
2002 Turquia Terceiro lugar
2002 Coreia do Sul Quarto lugar

11
Número de gols sofridos pelo Brasil na Copa: a pior defesa da competição



Enfim, um treino forte

Paulo Galvão - Enviado especial

Teresópolis (RJ) ; O treinamento de ontem da Seleção Brasileira, na Granja Comary, foi um dos mais fortes desde que a Seleção Brasileira chegou à Região Serrana. A atividade durou 1 hora e 10 minutos, com muita exigência da comissão técnica e aplicação dos jogadores. Uma pena que o esforço só tenha ocorrido justamente na despedida do centro de treinamento construído pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Os torcedores, mais uma vez, marcaram presença no alambrado que delimita o local. Porém, talvez por conta da chuva e dos 10;C sob a neblina da região, nenhuma atleta se dispôs a ir até eles para se despedir, apesar das muitas faixas de apoio e dos gritos histéricos de crianças e adolescentes em busca de atenção dos ídolos.

Thiago Silva não participou do treinamento, mas deve jogar hoje. O capitão fez atividade à parte, com tratamento contra dores musculares. Foi substituído por Henrique.

BRASIL X HOLANDA

Estádio Nacional Mané Garrincha
Brasília (DF)

17h

Transmissão
Band, Bandsports, ESPN Brasil, Globo, Fox Sports, Fox Sports 2 e SporTV

Copa do Mundo
Disputa pelo 3; lugar

BRASIL
(4-2-3-1)
12. Julio Cesar; 2. Daniel Alves, 3. Thiago Silva, 4. David Luiz e 6. Marcelo; 17. Luiz Gustavo e 8. Paulinho; 16. Ramires, 11. Oscar e 19. Willian; 21. Jô
Técnico: Luiz Felipe Scolari

HOLANDA
(5-3-2)
1. Cillesen; 15. Kuyt, 3. De Vrij, 2. Vlaar, 7. Janmaat e 5. Blind; 20. Wijnaldum, 10. Sneijder e 16. Clasie; 11. Robben e 19. Huntelaar
Técnico: Louis van Gaal

Árbitro: Djamel Haimoudi (ALG)



Olha quem apareceu
Chegou o dia: Jô será titular da Seleção Brasileira numa Copa do Mundo. O centroavante do Atlético-MG terá um jogo para provar que Fred deveria ter passado o torneio no banco de reservas.

5 gols pelo Brasil


SNEIJDER
Cuidado, Julio Cesar
O homem que marcou os dois gols que eliminaram o Brasil nas quartas de final da Copa de 2010 está de volta. Wesley Sneijder teve atuações ruins no mata-mata, mas deve ser mantido titular.

27 gols pela Holanda

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação