Falsidade nos pedidos

Falsidade nos pedidos

DANIELA GARCIA ANA POMPEU
postado em 12/07/2014 00:00
A cidade gaúcha de Caxias do Sul deve receber, nos próximos dias, representantes do Ministério da Justiça para analisar a situação de ganenses que fizeram o pedido de refúgio. A Polícia Federal do município registrou 213 pedidos até ontem, em um período de 10 dias, segundo o delegado Noerci da Silva Melo. A solicitações serão encaminhadas à Brasília para a análise do Comitê Nacional para os Refugiados (Conare). O objetivo da missão na cidade é fazer o procedimento de entrevistas dos estrangeiros no local.

A maioria está sendo abrigada no Centro de Atendimento ao Migrante, no bairro de Desvio Rizzo. Coordenadora da entidade, irmã Maria do Carmo Gonçalves conta que os africanos têm histórias de perseguição religiosa. O vice-ministro de Informação de Gana, Felix Kwakye Ofosu, disse, ontem, a uma rádio local do país africano que os pedidos de refúgio feitos por ganenses no Brasil têm ;base completamente falsa;, de acordo com agência de notícias AFP.

Ofosu afirma que quase todos que estão pedindo asilo são integrantes da delegação de Gana que vieram com a equipe para a Copa do Mundo. ;A base de sua demanda é completamente falsa. Todos sabemos que não há nenhum conflito religioso no país neste momento.;
Ibrahim Mustafa, 26 anos, confronta as declarações do ministro e afirma que eles deixaram o país africano à procura de um ambiente de paz para viver. Ao Correio, ele contou por telefone, que a mãe foi assassinada, em uma disputa de terras. ;Eu vendi tudo o que tinha para comprar a passagem e vir para cá. Eu quero começar uma nova vida. Amo o Brasil e as pessoas daqui são muito amorosas;, disse.

A quantidade de estrangeiros na cidade mobilizou a Arquidiocese de Caxias e a Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Vereadores, que estão ajudando na arrecadação de colchões para que eles possam dormir em uma quadra poliesportiva.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação