Foco na "invencibilidade"

Foco na "invencibilidade"

JÉSSICA RAPHAELA THAÍS CUNHA
postado em 12/07/2014 00:00
 (foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press)
(foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press)

Louis Van Gaal mudou de ideia. Depois de dizer que a disputa do terceiro lugar não deveria ocorrer, logo após a derrota nos pênaltis para a Argentina, o técnico holandês encontrou um motivo para querer vencer a Seleção Brasileira hoje à tarde. Ontem, em entrevista coletiva, no Mané Garrincha, ele destacou o novo objetivo da Laranja Mecânica: ;Podemos entrar para a história. Não perdemos nenhuma partida e nem queremos voltar derrotados para a Holanda. Estou focado no Brasil, quero o terceiro lugar;.

Diferentemente da reação de Felipão na derrota, Van Gaal assumiu a frustração de toda a equipe diante do revés. Agora, é na ;derrota invicta; que os jogadores também devem se apoiar. ;Perder dói, a dor não passa;, lamentou o atacante Dirk Kuyt, o único confirmado pelo treinador na lista de titulares da Holanda. ;Queremos vencer aqui e voltar para casa sem perder, com a sensação de que fizemos tudo o que estava ao nosso alcance;, completou.

E o técnico Louis Van Gaal fez realmente o que podia para colocar a Holanda na final. Quando a equipe foi para os pênaltis, contra a inexplicável Costa Rica, o treinador substituiu o goleiro no último minuto da prorrogação e Tim Krull agarrou duas bolas, garantindo a classificação para as semifinais. Depois, contra a Argentina, também em uma disputa de pênaltis e com o goleiro titular, a derrota veio com duas cobranças defendidas por Sergio Romero.



;É a pior maneira. Por isso eu já falei que é melhor perder de 7 x 1, porque assim você realmente perdeu. No nosso caso, não houve derrota;, apontou o treinador. Agora, aos poucos, o foco de Van Gaal e da seleção holandesa estão mudando. ;Gradativamente, estamos percebendo que temos de defender outra coisa. A Holanda nunca voltou para casa sem ter perdido;, ressaltou ontem, antes de iniciar um treino recreativo no já castigado gramado do Mané Garrincha.

Com o campo reduzido, os jogadores se limitaram a um bobinho e treinamento físico. A ideia, segundo Van Gaal, era encontrar os atletas mais psicologicamente preparados da equipe para a partida contra o Brasil. ;Quero começar com um time mentalmente pronto. Isso é o mais importante. O corpo tem que permitir esse contexto, mas acredito que o espírito seja maior do que o corpo;, filosofou. Em clima descontraído, Robben e Sneijder foram os últimos a deixar o campo. Do outro lado, Nigel de Jong, que jogou no sacrifício contra a Argentina, treinou separado dos colegas e não deve atuar hoje em função de uma lesão na virilha.

Decepção histórica
Sempre que avançou às últimas fases da Copa do Mundo, a Holanda voltou para casa com o sonho destruído. A Laranja Mecânica ficou com o vice-campeonato três vezes: em 1974 contra a Alemanha Ocidental; em 1978 perdeu para a Argentina; e em 2010 contra a Espanha. Na última vez que chegou à disputa de terceiro lugar, perdeu para a Croácia em 1998, um dos resultados mais surpreendentes daquele Mundial.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação