Aécio garante reajuste real do salário mínimo

Aécio garante reajuste real do salário mínimo

Tucano participou de encontro com lideranças sindicais em São Paulo e recebeu pauta de reivindicações

Felipe Seffrin
postado em 21/08/2014 00:00
 (foto: Marcos Fernandes/ObritoNews)
(foto: Marcos Fernandes/ObritoNews)

São Paulo ; O candidato do PSDB ao Planalto, Aécio Neves, participou ontem de um encontro com lideranças sindicais em que comprometeu-se a atender uma pauta de 19 itens elaborada por Força Sindical, União Geral dos Trabalhadores (UGT) e Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST). Entre os compromissos assumidos, estão a correção da tabela do Imposto de Renda e o ;reajuste real do salário mínimo;, como prometeu Aécio, em discurso. O evento com sindicalistas reuniu cerca de 3 mil pessoas na Casa de Portugal, no centro de São Paulo. Hoje, o candidato tucano cumpre agenda em Natal (RN), onde visita uma fábrica têxtil.

Aécio dividiu o palanque em São Paulo com o deputado federal Paulinho da Força (SD-SP), presidente nacional da Força Sindical, entre outros líderes trabalhistas. Para uma plateia formada por representantes de sindicatos da construção civil, aeroviários, padeiros, mototaxistas e costureiras, entre outras classes, Aécio fez duras críticas à gestão de Dilma Rousseff. ;Meu governo não vai governar de costas para a classe trabalhadora. O governo atual esqueceu de seus compromissos com os trabalhadores para pensar exclusivamente no poder;, afirmou, exaltando a necessidade de crescimento econômico do país e criticando ;a pior inflação de muitas décadas;.

Em discurso de pouco mais de oito minutos, com a voz rouca, Aécio exaltou o apoio que tem recebido da classe trabalhadora. ;Não sei com quem vou, mas garanto que estarei no segundo turno!”, prometeu. Inicialmente o candidato tucano em São Paulo ao Senado, José Serra, acompanharia Aécio no encontro com sindicalistas. Como Serra não apareceu, coube a Paulinho da Força, presidente nacional do Solidariedade, fazer as honras da casa. ;Nossa esperança é que ele vai enfrentar de um lado uma candidata inexperiente, que ninguém sabe o que vai fazer, e de outro uma candidata que trouxe de volta a inflação e é campeã em taxa de juros;, disparou Paulinho, em referência a Marina Silva e a Dilma Rousseff.

Mamografia
No manifesto entregue a Aécio, as entidades de classe reclamam que ;o atual governo tem desrespeitado os trabalhadores ao negar o diálogo com as lideranças sindicais;. A crise na Petrobras, tema de duas CPIs no Congresso, também é destacada. ;Com relação à corrupção, nunca vimos tanto aparelhamento dos equipamentos públicos, com desvios de recursos e negociatas que têm sangrado nosso patrimônio;, diz o documento. Entre as reivindicações dos sindicalistas, estão o fim do fator previdenciário e a valorização das aposentadorias e pensões com percentuais acima do salário mínimo, entre exigências genéricas como ;soberania e integração nacional;.

Antes do encontro com os sindicalistas, Aécio visitou uma carreta do Programa Mulheres de Peito, que conta com 300 postos fixos e quatro postos móveis onde são oferecidos exames gratuitos de mamografia. Na atividade de campanha realizada no Brás, no centro de São Paulo, Aécio prometeu ampliar o acesso a exames de mamografia e atualizar a tabela do Sistema Único de Saúde (SUS). ;É necessário que a tabela seja corrigida. Não vai ser do dia para a noite, mas, a partir do momento em que se tenha prioridades claras, será possível;, afirmou, sem mencionar números.

AS DEMANDAS
Confira qual é a pauta trabalhista da Força Sindical, União Geral dos Trabalhadores (UGT) e Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST) entregue a Aécio Neves:

; Manutenção dos direitos trabalhistas;

; Correção permanente da tabela do Imposto de Renda pelo INPC e aumento da taxa de isenção;

; Renovação da política de valorização do salário mínimo;

; Instituição de política de valorização das aposentadorias e pensões com valores acima do salário mínimo;

; Fim do fator previdenciário;

; Valorização do Ministério do Trabalho e Emprego com o resgate de suas legítimas atribuições;

; Redução da jornada de trabalho sem redução salarial;

; Combate à inflação que corrói a renda do trabalhador;

; Regulamentação da Convenção 151 (direito à negociação coletiva dos servidores públicos);

; Ratificação da Convenção 158 (garantia contra demissão imotivada) da Organização Internacional do Trabalho.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação