Deu no www.correiobraziliense.com.br

Deu no www.correiobraziliense.com.br

postado em 22/08/2014 00:00
 (foto: Pedro Cecilia/Divulgação)
(foto: Pedro Cecilia/Divulgação)

Justiça aceita deixar Richthofen no regime fechado
A juíza Sueli Zeraik de Oliveira Armani, da 1; Vara de Execuções Criminais de Taubaté, revogou o benefício do regime semiaberto concedido a Suzane von Richthofen, condenada a 39 anos de prisão por matar os pais em 2002. A decisão foi tomada após uma audiência com a detenta, que pediu para permanecer no regime fechado até a conclusão da construção de uma nova ala do semiaberto na penitenciária. Richthofen afirmou, por escrito, que não tem interesse no benefício da progressão penal por temer sua vida fora da prisão. Richthofen foi condenada pelo assassinato dos pais, Manfred e Marísia. Ela contou com a participação de Cristian e Daniel Cravinhos (namorado de Suzane), que confessaram o homicídio.


Bandidos assaltam ônibus de dupla sertaneja no interior de Minas
Quatro homens armados assaltaram, na madrugada de ontem, o ônibus da dupla sertaneja Matheus e Kauan (foto), na BR-153, em Prata, no Triângulo Mineiro. Os cantores goianos e a equipe seguiam para show em Curitiba. Os criminosos aterrorizaram as vítimas, agrediram Kauan e balearam no braço um dos motoristas. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, por volta de 4h, o coletivo seguia pela rodovia com 26 passageiros e dois motoristas. Na altura do Km 135, um Vectra cercou o ônibus e bandidos atiraram quatro vezes, obrigando o condutor a parar. Os suspeitos usavam coletes à prova de balas e estavam com os rostos cobertos. Eles recolheram os pertences dos passageiros, dinheiro e equipamentos musicais. Os homens fugiram. Por causa do roubo, a apresentação em Curitiba foi cancelada.

Morte do promotor Thiago Faria segue sem investigação
Uma semana após a Terceira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinar que a Polícia Federal assuma o inquérito que investiga o assassinato do promotor Thiago Faria Soares, ocorrido em outubro do ano passado, a superintendência da PF em Pernambuco ainda não recebeu a notificação para começar a apurar o fato. O relator, ministro Rogerio Schietti Cruz, entendeu que a demora no esclarecimento do crime representa grave violação dos direitos humanos e pode resultar na impunidade dos seus mandantes e executores. Soares, integrante do Ministério Público de Pernambuco, foi morto a tiros quando dirigia em uma rodovia no município de Itaíba. O crime estaria inserido no contexto de atuação de grupos de extermínio na área, conhecida como Triângulo da Pistolagem.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação