Morre o bebê que ficou sem UTI

Morre o bebê que ficou sem UTI

» THIAGO SOARES
postado em 22/08/2014 00:00
 (foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press)
(foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press)


É com muita tristeza e revolta que Leurivand Pereira de Jesus, 30 anos, encara a morte do filho José Augusto Sevilha de Jesus Chaves, de três meses. A criança estava internada desde o último sábado no Hospital Regional de Planaltina à espera de vaga em um unidade de terapia intensiva (UTI) da rede pública. A Justiça determinou a transferência da criança para a ala, mas, somente após quatro dias, a Secretaria de Saúde a encaminhou ao setor especial do Hospital Regional de Taguatinga. Apesar disso, o menino não resistiu e morreu à 1h de ontem. ;Tenho certeza de que, se tivessem conseguido antes, eu não estaria com esse papel (atestado de óbito) na mão. O meu filho lutou muito para ficar vivo. Sofreu sete paradas cardíacas.;

Leurivand e a mulher, Leidiane Pereira da Silva, moram em Formosa. Os gêmeos do casal nasceram prematuros, com 32 semanas, e ficaram na UTI de uma maternidade por mais de 20 dias. Após serem liberados, nenhum dos dois apresentaram complicações. Porém, no sábado, a mãe percebeu que José Augusto estava com sinais de fraqueza e dificuldades para respirar. Imediatamente, os pais levaram o garoto a um hospital da região. De lá, seguiram para a Unidade de Pronto de Atendimento (UPA) da cidade goiana e, em seguida, receberam a orientação para buscarem atendimento no Hospital Materno-Infantil de Brasília (HMIB), na Asa Sul.

No caminho, o menino teve dificuldades respiratórias. A família, então, parou no Hospital Regional de Planaltina. No DF, o bebê recebeu o diagnóstico de pneumonia. Precisava, então, ser transferido para uma UTI, mas, por causa da falta de vaga, os médicos improvisaram o atendimento. ;No domingo, procurei a Justiça, que emitiu uma liminar para que o meu filho fosse transferido em 24 horas para a ala, mas passou o tempo e não conseguiram o espaço;, reclama o pai.

Leurivand está agora preocupado com o outro filho. ;Ele apresentou febre. Vou atrás de atendimento ou de tratamento para ele. Estou com medo de acontecer o mesmo. Não quero perdê-lo. Precisamos de ajuda.; O pai de família acumula outra preocupação: a companheira tem sinais de depressão. ;É tudo muito duro para nós. Ela está péssima, sem contar que temos uma filha de 6 anos que faz uso de medicamentos. Tem convulsões. Quero que a minha família fique bem.;

Por meio da assessoria de Comunicação, a Secretaria de Saúde informou que o menino foi transferido para Taguatinga por volta das 22h de quarta-feira. A criança teve mais uma parada cardíaca por volta da 0h e não resistiu. ;A pasta esclarece que, enquanto esperava a transferência para um leito de UTI Pediátrica, o paciente recebeu todo o atendimento necessário no hospital de Planaltina, inclusive em leito com aparelhos semelhantes aos utilizados em UTI adulto e com uma equipe de médicos intensivistas;, informa a nota. A causa da morte será investigada.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação