O universo infinito dos risotos

O universo infinito dos risotos

Não é de hoje que o clássico preparo italiano encanta os brasileiros; saiba onde saboreá-lo e como fazê-lo em casa

Mariana Vieira Bernardo Bittar Especial para o Correio Paula Bittar Especial para o Correio
postado em 22/08/2014 00:00

Muito mais do que um simples arroz. Este é o risoto, prato tradicional da culinária italiana que ganhou as mesas dos brasileiros, com direito a releituras regionais. Mas como ele surgiu? ;São muitas as lendas em torno da origem; tantas que é difícil arriscar qual é a mais próxima da realidade;, explica o chef de cozinha e autor do livro Risotos: 50 receitas, André Bocatto. Ele conta que existem duas hipóteses bem aceitas sobre o nascimento do prato (leia ao lado).

Em Brasília, existem diversas casas onde é possível encontrar versões interessantes. A chef Ticiana Werner comanda um rodízio do prato e garante que os diferenciais estão ;no caldo caseiro, no queijo parmesão com boa cura e no tempo de cocção dos ingredientes;.

De acordo com a chef Ana Toscano, que está à frente do restaurante Villa Borghese e ministra aulas específicas sobre a produção de risotos na Escola de Gastronomia de Brasília, trata-se de um prato que depende do frescor.

;Ele é o rei, precisa ser servido logo após ficar pronto. São os convidados quem devem esperar pelo prato;, ensina Ana.

O chef Diego Koppe, do Babel, acredita que misturar bebidas alcoólicas e seguir a receita tradicional italiana contribuem para um prato com maior qualidade. ;Não dá para misturar creme de leite nem enriquecer a panela com coisas muito modernas;, lembra. Se a ideia é partir do tradicional preparo às experimentações, você encontrará o caminho nas próximas páginas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação