Agenda da semana

Agenda da semana

postado em 22/08/2014 00:00
 (foto: Hugo Santarem/Pixel Imagem - 14/5/13)
(foto: Hugo Santarem/Pixel Imagem - 14/5/13)

Segunda

Cinema brasiliense

O Cineclube Bancário (Teatro dos Bancários, 314/315 Sul) exibe, nesta segunda-feira, às 20h, o longa Faroeste Caboclo. Inspirado na canção da Legião Urbana, o filme foi dirigido pelo brasiliense René Sampaio e lançado em 2013. A história retrata a vida de João do Santo Cristo, um baiano que se muda para Brasília a fim de conquistar melhores condições de vida, mas acaba envolvido com o tráfico de drogas. Em meio a tudo isso, ele se apaixona por Maria Lúcia, motivo pelo qual decide se afastar da criminalidade. Nos papéis principais, estão os atores Fabrício Boliveira e Isis Valverde. Entrada franca. Não recomendado para menores de 16 anos.



Terça

Quarteto

O jazz toma conta do Clube do Choro (Eixo Monumental) nesta terça-feira, às 21h. Com repertório recheado de música popular americana e brasileira, o Impromptu Generalis vai de Cole Porter a Tom Jobim, apostando nos arranjos elaborados e nas versões do quarteto de sucessos da salsa, jazz, bee bop e bossa nova. Ingressos: R$ 10 (meia-entrada). Não recomendado para menores de 14 anos.



Quarta

Filme gratuito

A programação do CineCAL ; Migração e Imigração terá Cinema, aspirinas e urubus, às 12h30 desta quarta-feira, no Cinema da Cal (SCS). O longa nacional é ambientado no sertão nordestino, no qual um alemão e um sertanejo se conhecem e passam a trabalhar juntos. Johann e Ranulpho vão de comunidade em comunidade para difundir filmes promocionais sobre a aspirina em uma ação que leva o cinema a pessoas que nunca tiverem contato com a arte. Entrada franca. Não recomendado para menores de 14 anos.




Quinta

Café com arte

O Quinta no Quintal ocorre nesta quinta-feira, às 19h, no Quintal f/508 (413 Norte). Depois de explorar temas como fotografia, poesia e pintura, o universo das colagens será o assunto do bate-papo. O encontro reúne os artistas Julio Lapagesse, que tem como marca o uso de objetos afetivos e a recorrência à memória; e Pedro Ivo, que tira das enciclopédias antigas seus elementos imagéticos. A entrada é franca. Classificação indicativa livre.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação