EUA farão ofensiva contra EI

EUA farão ofensiva contra EI

postado em 08/09/2014 00:00
 (foto: Ahmed Jadallah/Reuters)
(foto: Ahmed Jadallah/Reuters)

Acusado até mesmo por aliados de demorar a agir contra os jihadistas do Estado Islâmico (EI), o presidente Barack Obama adiantou ontem, durante entrevista à tevê americana, que anunciará, na próxima quarta-feira, um plano para lidar com os extremistas. O discurso acontecerá em um momento sensível para o país: véspera do 13; aniversário dos ataques do 11 de Setembro.


Dois dias depois de voltar da cúpula da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em Gales, Obama se diz confiante na capacidade de formar uma coalizão internacional para enfrentar o EI. O grupo já conquistou grandes áreas na Síria e no Iraque. ;A próxima fase é iniciar uma ofensiva;, afirmou, ressaltando, porém, que ;isso não será um anúncio de envio de tropas terrestres;. ;Isso não equivale à guerra do Iraque. Equivale às campanhas antiterrorismo em que estamos engajados nos últimos cinco, seis, sete anos;, fez questão de ressaltar.


Obama afirmou que o país usará uma estratégia parecida com a adotada contra a Al-Qaeda no Afeganistão e no Paquistão, assim como com outros grupos terroristas. ;Pedirei ao povo americano que, em primeiro lugar, compreenda que o EI é uma ameaça séria. Em segundo lugar, nós somos capazes de combater isso;, continuou. ;Em alguns meses teremos reduzido a força do EI;, previu. Ontem, drones americanos dispararam contra miltantes do EI no Iraque.

Liga Árabe
Enquanto os EUA preparam seu anúncio, os governos dos países árabes chegaram a um acordo ontem sobre como enfrentar o EI, anunciou o secretário-geral da Liga Árabe, Nabil al-Arabi, após uma reunião, no Cairo, entre os chanceleres dessas nações. ;Os ministros das Relações Exteriores árabes concordaram em tomar as medidas necessárias para enfrentar os grupos terroristas, entre eles, o EI;, disse Arabi em uma entrevista coletiva, sem demonstrar, explicitamente, o apoio desses países à proposta americana de uma coalizão internacional contra os jihadistas no Iraque.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação