Brasilienses homenageiam o centenário de Ernesto Silva

Brasilienses homenageiam o centenário de Ernesto Silva

O médico, professor, veterinário e oficial do Exército completaria hoje 100 anos. Data é lembrada com celebrações

» BERNARDO BITTAR
postado em 17/09/2014 00:00
 (foto: Ricardo Borba/CB/D.A Press)
(foto: Ricardo Borba/CB/D.A Press)

Carioca de Vila Isabel, o pediatra Ernesto Silva viveu praticamente toda a vida em Brasília. Aqui, chegou antes do então presidente Juscelino Kubitschek e realizou todas as peripécias que os recomeços permitem. Morou na capital federal em 57 de seus 95 anos, sendo responsável pela criação de diversas instituições da cidade, como a Associação Médica de Brasília (AMBr); pela implementação da Escola Parque da 308 Sul; e pela notoriedade do Conselho de Preservação de Brasília (Conbrás), que presidiu até a morte, há quatro anos. Se fosse vivo, Ernesto comemoraria hoje 100 anos.

Médico, professor, veterinário e oficial do Exército, o pioneiro assumiu, ainda em 1953, a Secretaria da Comissão de Localização da Nova Capital Federal. Também atuou como diretor administrativo da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) e, por causa da função, coube a ele dar finalidade para alguns lotes espalhados pelo Plano Piloto e por Taguatinga. ;O Ernesto era apaixonado por este lugar. E gostava de ver tudo funcionando. Acompanhou muitas obras até que fossem concluídas. Depois, continuava por perto para ver se estavam sendo preservadas;, conta a viúva, Sônia Maria Souto Silva.


Figura importante em uma cidade ainda em construção, Ernesto era muito ligado à educação, tanto que dominava o inglês e o francês, motivo pelo qual era frequentemente escolhido para receber comitivas internacionais em visitas a Brasília. De acordo com o jornalista Raimundo Nonato, foi ele quem preparou os sistemas educacional e de saúde de Brasília. ;Com o professor Anísio Teixeira, ele desenvolveu o que é hoje a base da educação na cidade. Na área da saúde, construiu o Hospital Distrital (hoje, Hospital de Base do DF). Isso seria o suficiente para imortalizá-lo na história da capital e da Federação;, revela um dos jornalistas a fazer a cobertura dos primeiros anos do Distrito Federal.

Paixão
Ernesto Silva foi homem de grande relevância para a capital. Comprou a ideia de uma Brasília próspera e, por ela, mudou diversas vezes o rumo da própria vida. Casou-se antes de deixar o Rio de Janeiro, mas logo veio a separação. O motivo: a então companheira não queria morar em Brasília. Assim, ele veio sozinho e, aqui, casou-se pela segunda vez. Porém, a segunda mulher o largou porque não gostava da cidade. Por fim, em 1999, aos 84 anos, oficializou a união com a última esposa, Sônia Maria, com quem viveu por 12 anos. ;E eu, claro, nunca me atrevi a dizer nada de avesso sobre Brasília;, brinca.
Uma das inegáveis paixões de Ernesto era o Parque da Cidade, cuja construção, dizia, salvou a cidade da bagunça e da falta de humanização dos centros urbanos. Tamanho apreço pela natureza fez com que ele fundasse ; e plantasse várias árvores ; a escola de idiomas Aliança Francesa, cuja unidade na Asa Sul é a única da rede com um jardim nas imediações.

Responsabilidade

Os candangos dos primeiros tempos da construção tinham uma frase que esclarecia quem mandava no quê: ;O mel é com o Israel; o pão é com o Sayão; e o resto é com o Ernesto;.


Programação


Quase uma dezena de eventos foi programada para homenagear o médico pioneiro Ernesto Silva. Os festejos começaram em 11 de setembro e vão até o próximo dia 20. Veja o que está previsto:

17 de setembro ; Celebração íntima entre família e amigos mais próximos, na casa da viúva, Sônia Silva. É o dia em que ele completaria 100 anos.

18 de setembro ; Homenagem do Conselho de Preservação de Brasília como Patrimônio Cultural da Humanidade (Conbrás), às 16h30, no Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal (703/903 Sul, Conjunto C). E celebração no Rotary Clube de Brasília, às 19h30, no próprio clube (SCES Trecho 3, Lote 6).

19 de setembro ; Homenagem de diretores, conselheiros e funcionários da Novacap, às 10h, na própria sede do órgão (Setor de Áreas Públicas, Lote B)

20 de setembro ; Encerramento dos festejos na Casa Museu da Fazenda Gama, no Brasília Country Club (SMPW Quadra 27, Conjunto 3)





Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação