Confiança desaba

Confiança desaba

postado em 17/09/2014 00:00
Mesmo com as medidas anunciadas para reaquecer o consumo e de incentivo às empresas, o governo não consegue reverter a sensação dos empresários em relação à economia. Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria, realizada nos 10 primeiros dias do mês, mostrou que a confiança dos industriais está no mais baixo índice da série histórica, iniciada em 1999, 46,5 pontos. Uma queda de 7,7 pontos em relação ao mesmo período de 2013. A pesquisa mostra que a falta de confiança já dura seis meses consecutivos. Os indicadores variam de 0 a 100. Os números acima de 50 indicam confiança.

De acordo com o levantamento da CNI, a falta de confiança é generalizada em todos os portes de empresas. Nas pequenas, indicador ficou em 46,7 pontos; nas médias, em 45,4 pontos e, nas grandes, em 47 pontos. Na avaliação por segmento industrial, o índice só ficou acima dos 50 pontos na indústria extrativa, informou a entidade. A da construção tem 47,1 pontos e a de transformação, 45,8 pontos.

Por região, a desconfiança só não atingiu o Norte, que ficou com 54,7 pontos; e o Nordeste, com 51,4 pontos. No Sudeste, o pessimismo é mais acentuado e o índice fechou em 42,8 pontos; seguido do Sul, com 43,8%; e do Centro-Oeste, com 46,3 pontos. Ou seja, quanto mais industrializada a área, mais cético é o empresariado.

Segundo o economista da CNI, Marcelo Azevedo, a queda na confiança é resultado da percepção de piora nas condições da economia e das empresas. Ele avaliou que a falta de confiança compromete a atividade industrial e prejudica os investimentos. ;Sem confiança, não há investimentos e sem investimentos não há crescimento da economia;, declarou.

A pesquisa foi feita com 2.844 empresas de todo o país, das quais 1.059 são de pequeno porte, 1.074 são médias e 711 são de grande porte.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação