Policiais civis fazem sabatina

Policiais civis fazem sabatina

» ADRIANA BERNARDES » iSA STACCIARINI
postado em 17/09/2014 00:00
Com uma pauta de 18 itens, cinco deles considerados essenciais para a classe, policiais civis do Distrito Federal lotaram o auditório do Instituto de Educação Superior de Brasília (Iesb) para sabatinar os candidatos ao Palácio do Buriti e conseguir deles o compromisso de atendimento de causas próprias. O evento, organizado pelo Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol), teve a presença de Jofran Frejat (PR), Rodrigo Rollemberg (PSB), Luiz Pitiman (PSDB), Toninho do PSol e Agnelo Queiroz (PT). Perci Marrara (PCO) não compareceu.

O governador Agnelo foi o único a ser vaiado, mas também recebeu aplausos e terminou ovacionado, especialmente quando se comprometeu a enviar uma mensagem ao Congresso Nacional para que a Polícia Civil do DF também seja reconhecida como uma categoria de profissionais com nível superior, conforme prevê a Medida Provisória 650/2014. ;A Polícia Civil é uma polícia de estado. Posso falar isso com orgulho porque nenhuma investigação é interrompida por ingerência política;, afirmou.

As principais cobranças da categoria foram: reajuste salarial e de benefícios como tíquete alimentação e auxílio-saúde, além da inclusão do auxílio moradia e isonomia com os policiais federais. Dois candidatos ao Buriti destoaram dos demais em pelo menos dois temas: a isonomia e o reajuste de benefícios.

Em relação ao primeiro assunto, Toninho do PSol frisou que há entraves para a sonhada igualdade de direitos entre civis e federais. ;Somos mantidos com recursos da União. Além disso, a PF alega ter missão constitucional diferente e atuar em território nacional, enquanto a nossa polícia (PC) se restringe a agir no âmbito do DF. Eu acho que teríamos que reivindicar isonomia por meio de um projeto de lei;, alertou. Quando o tema passou a ser o reajuste dos benefícios, Pitiman prometeu mais que a análise de orçamento apontado pelos adversários. ;Vamos pensar juntos. Fui presidente da Novacap em 2009 e instituí o auxílio alimentação de R$ 750. O de vocês é R$ 350. Vamos mudar isso.;

O médico Jofran Frejat se apresentou como policial civil. ;Não sei se vocês sabem, mas eu sou ;cana;. Trabalhei no Instituto de Medicina Legal em 1968 e cheguei a diretor;, disse. Seguindo o discurso, conclamou a categoria a não perder a oportunidade de eleger ;o primeiro policial civil governador do DF;, conforme se autodenominou. Assim como os oponentes, Frejat se comprometeu a chamar os concursados e realizar novo certamente para preencher as 3.029 vagas existentes.

Rodrigo Rollemberg ressaltou que há uma falta de liderança no atual governo na missão de encabeçar as reinvindicações da Polícia Civil na União. Ele destacou que não entrará em confronto com o governo federal, ;mas se há entraves legais, faremos a gestão junto ao Congresso Nacional para saná-los.;

Para o presidente do Sinpol-DF, Rodrigo Fernandes Franco, a sabatina foi positiva, uma vez que a categoria pautou os candidatos do governo para que discutissem sobre o pleito da Polícia Civil e o contexto da categoria dentro de uma melhor segurança pública para a sociedade. ;Nós percebermos que os cinco candidatos são a favor da valorização e do reconhecimento dos policiais desenvolvem. Isso é preciso para que a população tenha segurança pública de qualidade, que é aquilo que queremos;, ressaltou.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação