TIMELINE

TIMELINE

postado em 30/09/2014 00:00
 (foto: Tagul/Reprodução)
(foto: Tagul/Reprodução)

Domínios valiosos


Em outubro do ano passado, a Internet Corporation for Assigned Names and Numbers (Icann), instituição responsável pelos registros de sites na internet passou a disponibilizar o uso de novas extensões de domínios além dos tradicionais: .com, .org, .gov, entre outros. Assim, seria possível criar sites como www.cachorro.snoopy. Mas para que o órgão não fosse sobrecarregado com pedidos, a ideia foi disponibilizar pouco a pouco as palavras mais requisitadas e genéricas, como .bank ou .book.

Na última semana, alguns sufixos foram colocados à disposição. Três deles ganharam destaque pelo valor pago. A extensão .tech, por exemplo, foi vendida por US$ 6,7 milhões (cerca de R$ 15,9 milhões). A nova dona do domínio é a DotTech LLC, que deixou para trás diversas companhias, como nada menos que a Google.

A gigante das buscas também não conseguiu levar o .buy, que ficou com outra companhia expressiva, a Amazon. A varejista pagou quase US$ 4,6 milhões (cerca de R$ 10,8 milhões) pelo domínio que era disputado ainda pela Donuts e pela Famous Four Media. Por fim, o .vip, outro desejo do Google, ficou com a Minds + Machines por US$ 3 milhões (aproximadamente R$ 7 milhões).

Vale lembrar que a compra das extensões só pode ser realizada por empresas, e mediante um pagamento inicial e uma taxa de manutenção, que costumam ser bastante caros. Mas não é só o valor pago que determina quem conseguirá a extensão. O Icann leva em consideração outros fatores, como o interesse público no uso do domínio. Por esse motivo, por exemplo, a própria Amazon tem dificuldades de registrar o .amazon, uma vez que a Amazônia seria de maior interesse para sites relacionados à floresta em si.

No caso de palavras menos genéricas, o ICANN estabelece critérios para verificar se há de fato uma identificação do sufixo com a marca. Na América Latina, por exemplo, a companhia aérea Avianca já detém o uso da extensão .avianca. Com isso, a empresa pode se posicionar melhor na internet e torna-se detentora do poder de revender ou cobrar pelo uso do domínio.


SUCESSO NA REDE
Sim. Depois de meses de aviso, a rede social mais querida do Brasil encerra as atividades. Hoje, 30 de setembro, é o último do Orkut. Quem não se lembra da febre dos flertes via scrap, depoimentos para aquele amigo que mal conhece, mas considera pacas, linguagens pouco convencionais (;BeLiNhA H-tiNhA Te Dolo FoFuXa;) e debates ;enriquecedores; nas comunidades? Pois esses tempos ficarão na saudade e na memória dos milhões de usuários a partir de amanhã. Assim, a dica é resgatar o quanto antes aquelas fotos das antigas e tirar um print na tela para mostrar para os filhos e netos como era a internet antes do Facebook. E para já ir se despedindo, que tal relembrar algumas comunidades cativantes?


PÁGINA DA VEZ
Se você é daqueles que acha que tudo fora do Brasil é melhor, ou que os artistas de outros países são muito mais criativos que os nossos, é melhor repensar seus conceitos. A página Gringos copiando brasileiros (facebook.com/gringoscopiandobrasileiros) do Facebook revela que cantores, atrizes e outros famosos brasileiros muitas vezes estão na vanguarda global das tendências e resta aos pobres estrangeiros copiarem o estilo tupiniquim. Confira alguns exemplos de cópias descaradas no site.


INSTAGRAM DA VEZ
A Islândia é considerada um dos países mais seguros e tranquilos da Europa. A ilha nórdica conta com pouco mais de 300 mil habitantes, menor que a população de cidades médias brasileiras, como Uberlândia (MG). A capital, Reykjavík, tem cerca de 120 mil habitantes e índices baixíssimos de violência. Assim, sobra tempo para a polícia metropolitana da cidade se dedicar a outras atividades além do combate ao crime, como resgatar animais, andar de bicicleta ou tirar selfies com os cidadãos. A rotina ;desgastante; dos policiais islandeses pode ser conferida no perfil @Logreglan no Instagram.


APLICOTECA

Swiftkey

(iOS - grátis)
Entre as novidades do novo sistema iOS 8 estão teclados alternativos, como o Swiftkey, famoso na plataforma concorrente, Android.e que permite deslizar os dedos pelas teclas.

Ignore no more
(Android - R$ 4,78)
O aplicativo é ideal para pais ligeiramente controladores, pois caso o filho não atenda a chamada, o celular fica bloqueado e o destravamento só ocorre quando ele retornar a ligação.

Flipagram
(Windows Phone - grátis)
O app que faz sucesso em outras plataformas chega ao Windows Phone. Com ele, pode-se criar pequenos vídeos utilizando as fotos do celular.

Navfree
(BlackBerry - grátis)
O sistema de GPS apresenta mapas integrados com o Google Street View e possibilidade de algumas rotas mesmo off-line.







Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação