Ataques retornam à tevê

Ataques retornam à tevê

No primeiro programa do 2º turno, PT e PSDB agradeceram os números das urnas e se enfrentaram. Dilma foi mais agressiva nas críticas

AMANDA ALMEIDA
postado em 10/10/2014 00:00
 (foto: YouTube/Reprodução)
(foto: YouTube/Reprodução)

A presidente Dilma Rousseff (PT) e o senador Aécio Neves (PSDB) deram ontem a largada aos ataques mútuos na televisão. Na reta final da campanha, eles estrearam o horário gratuito com programas festivos, em comemoração pela chegada ao segundo turno, mas reservaram parte do tempo para tentar desconstruir a candidatura adversária. A petista reforçou o discurso de que o PSDB representa um retrocesso para o país. Já o tucano apostou no eleitor que deseja mudança.

Dilma foi mais incisiva nos ataques. Logo depois de comemorar ter recebido mais votos no primeiro turno e o triunfo em 15 estados, a petista destacou uma ;vitória dupla; em Minas Gerais: ela saiu na frente do adversário no estado e Fernando Pimentel (PT) foi eleito governador depois de 12 anos de gestão de Aécio e aliados. A tentativa é explorar a derrota do tucano em seu estado natal. Na propaganda do senador, a boa aprovação de seu governo em Minas é citada recorrentemente.

;O que está em jogo é um modelo de país. Não faço ataques pessoais ao candidato adversário, mas é fato que ele representa um modelo que quebrou o país três vezes, que abafou todos os escândalos de corrupção, que privatizou o patrimônio público a preço de banana;, disparou Dilma, enumerando outros supostos fracassos da gestão do tucano Fernando Henrique Cardoso (1995-2002). O ex-presidente foi ainda alvo da artilharia mais pesada do programa petista.

Na cena, um apresentador diz que, como a maior liderança do PSDB, FHC representa o modo tucano de governar. ;Quando era presidente, chegou a chamar os aposentados de vagabundos. Agora, ao comentar o primeiro turno, FHC disse literalmente: ;Não é porque são mais pobres que votam no PT. É porque são desinformados;. Ou seja, para FHC, os 43.267.668 eleitores de Dilma são ignorantes;, narra o apresentador, acrescentando motivos favoráveis para a votação na petista.

Trajetória
Já Aécio optou por abrir o programa com uma lembrança de Tancredo Neves. Um narrador compara o tucano ao avô. ;Há 30 anos, quando o Brasil sofria cruel ditadura e pedia por mudanças, um mineiro chegou e disse que, se os brasileiros deixassem as diferenças de lado e se unissem pela mesma bandeira, nada poderia detê-los. (;) Hoje, 30 anos depois, justo quando o país mais precisa, aparece outro mineiro e neto de Tancredo para denunciar o que está errado e fazer grande mudança.;

Em seguida, Aécio agradece pela votação e diz que a maior vitória foi a do pedido de mudança. O tucano aproveita para fazer um apelo a quem deixou de votar no primeiro turno, para que vá às urnas no segundo. ;O turno está apenas começando e, pode acreditar, a luta vai ser dura. Os nossos adversários já demonstraram que não têm limite quando o que está em jogo é o seu projeto de poder. Eu vou continuar apresentando a você proposta para melhorar a sua vida;, disse Aécio.

O tucano mostrou também os apoios que recebeu para a reta final. Pastor Everaldo (PSC) e Eduardo Jorge (PV) pedem voto para o tucano. ;O nosso apoio é o apoio livre. (;) Queremos apenas que ele ganhe a eleição e ponha o Brasil no rumo do desenvolvimento sustentável e da democracia;, disse Eduardo Jorge. Aécio comemora ainda a parceria com o PSB, destacando que é o partido de Eduardo Campos, presidenciável morto em agosto, em acidente aéreo, em Santos (SP).

Depois de apresentar a trajetória ao eleitor, o programa de Aécio fez comparações entre a gestão da presidente Dilma e a dele em Minas. ;Dilma pegou um país que ia bem e que, quatro anos depois, está em recessão, parado. Aécio pegou um estado que ia mal e que, dois anos depois, voltou a crescer;, diziam os apresentadores.


NÚMEROS
10 minutos
É a duração do programa eleitoral diário de cada presidenciável na tevê e no rádio

620 minutos
É o tempo que os dois presidenciáveis dividirão nos horários do programa eleitoral até o dia de votação

16
Quantidade de dias que os presidenciáveis terão para apresentar as propostas na tevê

24 de outubro
Data que terminará o horário eleitoral gratuito, dois dias antes de os brasileiros irem às urnas

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação