Brasília-DF

Brasília-DF

por Denise Rothenburg » deniserothenburg.df@dabr.com.br
postado em 10/10/2014 00:00

Olho da bolsa
Os aliados do candidato do PSDB, Aécio Neves, cruzaram o mapa de votação da presidente Dilma Rousseff com o da localização dos beneficiados pelo Programa Bolsa Família. No universo de 13 milhões de famílias, que os aecistas calculam representar 26 milhões de eleitores, Dilma obteve 85% dos votos. Ou seja, quase a metade dos 43 milhões que a presidente amealhou no primeiro turno. A ordem dos tucanos é evitar que ela pegue os 15% restantes. Daí, todo o esforço dos apoiadores de Aécio em Pernambuco, onde Marina Silva ficou com um bom percentual desses eleitores. Aécio estará sábado no Recife, ao lado da família do ex-governador Eduardo Campos e dos eleitos, o futuro governador, Paulo Câmara, o senador, Fernando Bezerra Coelho, além do senador Jarbas Vasconcelos, e do prefeito da cidade, Geraldo Júlio.

; ; ;

No Ceará, onde o candidato estará em breve, o senador eleito, Tasso Jereissati, vai se dedicar a tentar ampliar um pouco a votação de Aécio no estado. Ali, Dilma impera e, no primeiro turno, muitos deixaram de lado a campanha tucana para o Planalto. Agora, eleitos, será mais fácil apoiar o presidenciável.

A simbologia de Carlinhos
A escolha de Carlos Siqueira para presidir o PSB é o mais claro sinal de que os socialistas querem que a turma da Rede Sustentabilidade siga o seu caminho. Logo depois da morte de Eduardo Campos, Carlinhos Siqueira, como é carinhosamente chamado pelos amigos, discutiu com a candidata Marina Silva e se afastou da campanha. Caberá a Siqueira preparar a transição do partido pós-Eduardo.

Na planta
Explica-se a corrida dos partidos em prol da candidatura de Aécio Neves à Presidência da República. É que todos quiseram se movimentar antes de publicadas as pesquisas Ibope e Datafolha. A ordem é passar a ideia de que compraram um apartamento em construção e ajudaram na conclusão da obra.

Semana mortal
A divulgação dos áudios do depoimento de Paulo Roberto Costa à Justiça e, ainda, o apoio de antigos aliados do PT (PSC, PSB e PV) ao candidato Aécio Neves transformaram esta semana no pior momento da candidatura da presidente Dilma Rousseff.

Dos males;
; O menor. Assim o PT classificou o resultado das pesquisas divulgadas ontem com Aécio Neves à frente da presidente Dilma Rousseff. O pior dos mundos para o partido é encontrar um discurso para São Paulo. Daí, o início com o périplo pelo Nordeste.

Joga pra lá/ O PMDB manteve um silêncio sepulcral sobre as declarações de Paulo Roberto Costa a respeito de Fernando Soares, citado como intermediário de pagamentos ao partido. Houve quem dissesse nos bastidores que ;se houver algum problema, é no Rio de Janeiro;, local da sede da Petrobras. Lá, a maioria dos peemedebistas está engajada no movimento Aezão.

Notícia velha/ As afirmações sobre Paulo Roberto Costa a respeito do carro e de outros bens já eram de conhecimento da Polícia Federal desde o início do ano, muito antes da delação premiada. A história dos partidos, entretanto, os petistas desconfiam que seja encomendada para prejudicar ainda mais a candidata petista.

Revoada I/ Os tucanos decidiram se espalhar pelo Brasil e promover atos de campanha em vários estados no fim de semana. O candidato a vice na chapa, Aloysio Nunes Ferreira (foto), vai ao Acre e a Rondônia. Nos dois estados, os tucanos disputam o segundo turno.

Revoada II/ O DEM entrou na roda. Em Imperatriz (MA), o prefeito Sebastião Madeira (PSDB) convidou o senador Agripino Maia (DEM), um dos coordenadores da campanha tucana, para uma reunião em favor de Aécio com a presença do vice-governador eleito no estado, Carlos Brandão, que é tucano.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação