Cabeça a prêmio

Cabeça a prêmio

postado em 10/10/2014 00:00
 (foto: Vitor Silva/SSPress-16/4/2014)
(foto: Vitor Silva/SSPress-16/4/2014)


O técnico Vagner Mancini demorou a chegar para a entrevista coletiva logo após a derrota de 1 x 0 para o Palmeiras. O atraso fez com que aumentassem as especulações sobre a saída do treinador, que viu o Botafogo, com o novo tropeço, despencar para a lanterna do Campeonato Brasileiro. As informações sobre a demissão do comandante encontram reflexo na pressão feita pelos opositores e até mesmo pelos principais aliados do presidente Maurício Assumpção, que nem cogita a hipótese de dispensar o treinador.

Assumpção não vê Mancini como principal responsável pela situação e admite que a qualidade do elenco torna a tarefa do técnico das mais complicadas. Isso sem falar que o comandante vem conseguindo gerir um grupo com constantes atrasos salariais, falta de respaldo político e abandono. Na última sexta-feira, quando foi informado das dispensas do lateral-direito Edilson, do lateral-esquerdo Júlio Cesar, do zagueiro Bolívar e do atacante Emerson Sheik, Mancini colocou o cargo à disposição, mas ouviu do presidente que mudanças não aconteceriam na comissão técnica.

A decisão de Mancini de abrir mão de seu posto também foi encarada com bons olhos pelo presidente, admirador do trabalho do treinador. Mesmo sem falar abertamente, até os dirigentes do clube, como o diretor de Futebol, Wilson Gottardo, defendem uma mudança na comissão técnica no sentido de dar um choque nos jogadores e tentar evitar o rebaixamento, que vem se concretizando a cada jogo.

Perguntado sobre o tema, Mancini descarta pedir demissão. ;Não penso em desistir, pois seria muito mais fácil pegar minhas coisas e ir embora. Mas não vou jogar a toalha;, avisou. ;Não vou aceitar que a equipe mostre um certo conformismo em campo, pois isso jamais pode acontecer. Existem times que são inferiores tecnicamente e conseguem ganhar. Portanto, o Botafogo tem que lutar.;

Em meio a esse cenário, o Botafogo se prepara para a partida contra o Corinthians, amanhã, na Arena da Amazônia.



O funk de Sheik
Emerson usou as redes sociais para mostrar que o afastamento do Botafogo está longe de lhe tirar o sono. O atacante publicou um vídeo no qual aparece dançando de sunga, em uma cobertura de frente para o mar. ;Funk das antigas... Relembrando a infância... Com ela... Hahaha;, escreveu o atleta, dispensado pelo alvinegro na semana passada. Sheik tinha um contrato de empréstimo com término em dezembro. Como é o Corinthians, dono de seus direitos federativos, o responsável pelo pagamento de seu salário, continua pingando pouco mais de R$ 500 mil por mês na conta do jogador.

Veja no www.df.superesportes.com.br o vídeo com Emerson Sheik dançando funk




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação