Brinquedo do horror

Brinquedo do horror

Yale Gontijo
postado em 10/10/2014 00:00
 (foto: Warner Bros/Divulgação)
(foto: Warner Bros/Divulgação)


Invocação do mal (2013), filme que pegou o circuito comercial de surpresa ao fazer sucesso no ano passado, tinha a direção precisa do novato James Wan e o apoio no elenco da atriz Vera Farmiga. Essas duas características estão ausentes de Annabelle, longa inspirado no anterior e inteiramente dedicado à boneca amaldiçoada.

Recém-casados, Mia (Annabelle Wallis, coincidência a atriz também se chamar Annabelle?) e John Gordon (Ward Horton), presenciam o assassinato brutal de um casal de vizinhos de meia idade. A partir daí, acontecimentos estranhos passam a atormentar o casal.

A película traz de volta o terror de apartamento que fez a fama de O bebê de Rosemary (1968), de Roman Polanski, do qual extrai referências.

É preciso dizer que a direção do estreante John R. Leonetti se apoia em cacoetes do gênero, sendo ventilado apenas por uma cena em que o suspense se encontra com Uma janela indiscreta (1954), de Alfred Hitchcock.

No resto, Annabelle é montado de modo a facilitar o entendimento das plateias contemporâneas e tem como principal erro a imagem física da origem do mal. Perto dos sustos e do primeiro Invocação do mal, este está mais para uma brincadeira infantil com bonecas de assustar.


US$ 39,4milhões
Arrecadação de Annabelle




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação