Adolescente morre em capotagem

Adolescente morre em capotagem

» PALOMA SUERTEGARAY
postado em 24/10/2014 00:00
 (foto: Gustavo Moreno/CB/D.A Press)
(foto: Gustavo Moreno/CB/D.A Press)

Uma adolescente de 16 anos morreu e quatro jovens ficaram feridos em capotagem registrada na madrugada de ontem, na DF-015, via que liga o Paranoá ao Lago Norte. De acordo com o relato das vítimas, o motorista do veículo, que fugiu do local, estaria embriagado. Até o fechamento desta edição, ele não havia sido encontrado. O caso foi registrado na 6; Delegacia de Polícia (Paranoá). Segundo informações da unidade, o acidente aconteceu em torno das 4h, perto do Bar Água de Coco. O carro em que os seis jovens seguiam era um Fiat Siena prata.

Além da menina que morreu, havia três garotas no veículo, duas de 17 anos e uma de 14; um jovem de 19; e o motorista e dono do carro, que, segundo o Corpo de Bombeiros, tem 21. De acordo com a versão dos adolescentes, o grupo teria passado a noite bebendo na casa de um amigo, no Itapoã. Durante a madrugada, saíram para buscar um colega na Prainha do Lago Norte. Quando seguiam pela DF-015, outro veículo teria atravessado na frente do Siena. O condutor, então, perdeu o controle e capotou.

A adolescente de 16 anos morreu na hora. Uma das vítimas acionou o Corpo de Bombeiros, que socorreu e encaminhou os feridos para o Hospital Regional do Paranoá. As três meninas foram liberadas. O garoto de 19 anos continua internado.

Moradores e comerciantes da área onde houve o acidente reclamam dos riscos na DF-015. A dona do Água de Coco e moradora do Lago Norte Denalva Alves Gonçalves, 49 anos, soube da tragédia pela tevê e diz que não foi a primeira vez. ;Acho que a solução é duplicar a via. Do jeito que está e com a pouca educação dos motoristas, a possibilidade de acidente é grande;, acrescenta. A vendedora Raimunda Costa, que tem uma banca de pastel perto do local, confirma o perigo: ;O que mais acontece aqui é acidente. Não dá para caminhar perto da pista porque os carros podem se jogar em cima de você;.

Jovens negros mais vulneráveis

A população jovem negra continua sendo a mais exposta às mortes violentas, por homicídios ou acidentes de trânsito. É o que conclui o estudo Jovens negros e não negros: mortalidade por causas externas, divulgado, ontem, pela Codeplan. O levantamento analisou dados do Sistema Integrado de Mortalidade do Sistema Único de Saúde (SIM/Sus) relativos ao período de 2000 a 2012. Na última década, um jovem negro, entre 15 e 29 anos, chegou a ter 2,9 mais chances de morrer assassinado ou vítima de acidentes de trânsito do que um não negro. A situação é mais grave no Entorno, onde a proporção média é de 4,5 vezes. ;O jovem longe da escola e pouco qualificado fica mais próximo às tentações da criminalidade;, afirmou o diretor da Codeplan, Júlio Miragaya.





Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação