Vingança anunciaDA

Vingança anunciaDA

Na internet, integrantes de organizadas do Vasco prometem %u201Cdar o troco%u201D em torcedores do Atlético-PR, que joga amanhã no Rio. No ano passado, as duas torcidas protagonizaram pancadaria que chocou o país

RODRIGO ANTONELLI
postado em 24/10/2014 00:00
 (foto: Geraldo Bubniak/Fotoarena/Folhapress - 8/12/13



 )
(foto: Geraldo Bubniak/Fotoarena/Folhapress - 8/12/13 )



Vasco e Atlético-PR jogam em divisões diferentes atualmente, mas isso não deve impedir um reencontro explosivo entre as torcidas das duas equipes, amanhã, no Rio de Janeiro. Pivôs da confusão que chocou o país na última rodada do Brasileirão do ano passado e deixou quatro pessoas feridas, os times têm compromissos marcados para o mesmo horário na cidade carioca. O cruz-maltino enfrenta a Ponte Preta, em São Januário, às 16h20, pela Série B, enquanto o Furacão visita o Fluminense, no Maracanã, em partida da 31; rodada da Série A.

Apenas quatro quilômetros separam os dois estádios, na região central do Rio, e parte dos torcedores organizados do Vasco alimentam sentimento de vingança contra os apoiadores do Atlético Paranaense. Nas redes sociais, circulam mensagens contra a uniformizada Os Fanáticos, uma das principais do clube curitibano. Em uma delas (veja fac-símile), um torcedor não identificado convoca os companheiros para enfrentar os atleticanos perto do Maracanã. ;Sábado vai ser a primeira parte do nosso troco neles;, escreve o torcedor, que pede para os colegas não usarem camisa do Vasco perto do estádio.


Segundo João Fiorentini, comandante do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (GEPE), a segurança do Rio de Janeiro não terá reforço específico para a ocasião. ;Estamos acostumados a fazer dois jogos na cidade no mesmo dia. Vamos escoltar as organizadas dos quatro times na entrada e na saída dos estádio, como sempre. Isso deve evitar problemas;, resume Fiorentini.

Um efetivo de 230 policiais vai fazer a segurança das duas partidas, amanhã, segundo divulgou o GEPE. Cem PMs ficarão responsáveis pelo jogo da Série B, no São Januário, e outros 130 farão a segurança no Maracanã e no entorno. Para Fiorentini, a torcida organizada da Ponte Preta é a que mais preocupa, apesar do histórico de vascaínos e atleticanos. ;O jogo da Ponte preocupa mais por ser decisivo para o campeonato e porque os paulistas vêm em grande número;, afirma.

Briga generalizada
Em 8 de dezembro do ano passado, o confronto entre Altético-PR e Vasco, em Joinville (SC), foi paralisado aos 16 minutos de partida por conta de uma confusão entre torcedores da Força Jovem (Vasco) e d;Os Fanáticos (Atlético-PR). As cenas de selvageria correram o mundo e fizeram até a presidente Dilma Rousseff se pronunciar sobre o caso. O STJD puniu os dois clubes: o Vasco perdeu seis mandos de campo e o Furacão, 12.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação